UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: FABRICIO DIAS ANTUNES
29/11/2016 11:33


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FABRICIO DIAS ANTUNES
DATA: 11/01/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU
TÍTULO: Diagnóstico de Dor Neuropática em Portadores de Doença Falciforme.
PALAVRAS-CHAVES: Doença Falciforme. Dor Neuropática.Questionários de Avaliação de dor.
PÁGINAS: 76
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

A Doença falciforme (DF) é a enfermidade genética mais prevalente em todo o mundo. A vasoclusão e hemólise são os achados centrais da doença e, por isso, recebem uma grande atenção da comunidade científica, já que os episódios dolorosos agudos são muito freqüentes e responsáveis por grande número de internações no país. À margem deste fato tão importante há quadros dolorosos crônicos que são subestimados ou pouco estudados; e talvez, a resolução deste problema esteja no diagnóstico definitivo e no tratamento adequado desta enfermidade.Objetivo: Identificar através de um questionário de avaliação de dor a ocorrência de dor neuropática (DN) e estabelecer o perfil clínico e epidemiológico do paciente portador de DN. Método: De um total de 554 portadores de DF, após estabelecidos critérios de inclusão e exclusão, 56 pacientes foram recrutados em serviço ambulatorial universitário referência em DF para um estudo transversal conduzido entre julho de 2015 e março 2016. O instrumento utilizado neste estudo para detecção de DN foi a escala Avaliação de Sintomas e Sinais em Dor Neuropática (LANSS). Dados demográficos e clínicos foram extraídos do prontuário do paciente e durante a entrevista. A escala foi aplicada conforme as normas dos seu criador para detectar evidência de DN. Teste Qui-quadrado ou exato de Fisher foram aplicados para comparar os grupos com e sem DN em função das variáveis: adolescentes (14 a 18 anos) versus adultos (19 a 32 anos), sexo e uso de hidroxiuréia. Valores de idade foram comparados nos grupos com e sem DN através dos testes ANOVA ou Kruskal-Wallis, considerando-se significativos os valores de p<0,05. Resultados: Dentre os pacientes, 25%tinham evidência de DN. A média de idade geral foi de 20,6 anos e 51,8% eram do sexo masculino. O local mais frequente de dor foi a região lombar (53,6%). Idade correlacionou-se positivamente com DN, com taxas maiores entre adultos em relação aos adolescentes (92,9 versus 7,1%; p<0,01). A média de idade, quando comparada em relação à presença ou ausência de DN, também é significativamente superior no primeiro grupo (p<0,05). Houve associação positiva entre pacientes que usavam hidroxiuréia e presença de DN (71,4 versus 28,6%; p<0,05). Observou-se associação entre presença de alterações sensoriais identificadas através do mini-exame físico do LANSS e pontuação final do LANSS correspondente a DN (p<0.01). Nenhum dos pacientes identificados fazia qualquer tipo de tratamento para DN. Conclusão: De uma forma simples é possível estabelecer diagnóstico de DN em portadores de DF além de identificar o perfil clínico e epidemiológico deste grupo.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1656787 - JOSIMARI MELO DE SANTANA
Presidente - 577945 - ROSANA CIPOLOTTI
Externo ao Programa - 3361735 - VERA MARIA SILVEIRA DE AZEVEDO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5