UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: AMANDA DO CARMO BION DE LIMA
17/10/2016 15:03


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: AMANDA DO CARMO BION DE LIMA
DATA: 31/10/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de Vídeo Conferencia - Sessão Fechada
TÍTULO: Atividade antitumoral das folhas de Eplingiella fruticosa Salzm. ex. Benth em camundongos Swiss”.
PALAVRAS-CHAVES: Câncer, E. fruticosa, citotoxicidade, atividade antitumoral
PÁGINAS: 120
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Farmacologia
SUBÁREA: Farmacologia Bioquímica e Molecular
RESUMO:

RESUMO:

O câncer é uma doença de elevada incidência, alta mortalidade e de difícil tratamento, havendo, portanto, um constante interesse na procura por terapias mais eficientes e com menos efeitos colaterais. Nesse sentido, produtos naturais têm se mostrado como potenciais agentes antitumorais. Sendo assim, o objetivo do presente estudo foi avaliar a atividade citotóxica das folhas de Eplingiela fruticosa frente a 3 linhagens de células tumorais humanas: adenocarcinoma ovariano (OVCAR-8), carcinoma de cólon (HCT-116) e glioblastoma (SF-295) através do ensaio colorimétrico de MTT. Essas substâncias foram avaliadas de acordo com o grau de inibição da proliferação celular (GI%), visando identificar as substâncias mais citotóxicas e as características moleculares que contribuem para a atividade in vitro. Os testes foram realizados em triplicata com concentração única de 25 µg/mL. Os resultados demostraram que a fração clorofórmica foi a que apresentou o melhor resultado (IP= 95,66 a 99,89%), com CI50 variando entre 2,68 a 3,92 µg/mL, respectivamente. Em seguida, foi avaliada a atividade antitumoral in vivo da fração com maior citotoxicidade e sem estudos prévios descritos na literatura, fração clorofórmica, utilizando camundongos transplantados com Sarcoma 180 (S180). Neste ensaio, a administração tanto por via oral quanto por via I.P. (100 ou 200 mg/kg/dia) inibiu o desenvolvimento de tumor sólido em camundongos transplantados com S180. A inibição, por via oral, foi de 46% e 56% para as doses de 100 e 200 mg/kg/dia e por via ip, foi de 53,9% e 70,4% para as doses de 100 e 200 mg/kg/dia. Não houve alterações nos parâmetros bioquímicos em animais tratados com a fração. Em relação às análises hematológicas, apresentou um aumento nos leucócitos totais. Outros resultados estão sendo analisados para melhor compreensão. Diante dos resultados, podemos concluir que a fração cloróformica apresentou elevada atividade antitumoral tanto in vitro quanto in vivo sugerindo um potencial anticâncer promissor, sem maiores alterações significativas no organismo.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANDREA YU KWAN VILLAR SHAN
Externo à Instituição - ANTONIO EUZEBIO GOULART SANT''ANA
Externo ao Programa - 3553547 - BRANCILENE SANTOS DE ARAUJO
Presidente - 2335200 - CHARLES DOS SANTOS ESTEVAM
Externo à Instituição - IGOR ADRIANO DE OLIVEIRA REIS
Interno - 2178474 - ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307