UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 23 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: AUGUSTO CESAR NABUCO DE ARAUJO FARO
29/09/2016 08:50


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: AUGUSTO CESAR NABUCO DE ARAUJO FARO
DATA: 26/10/2016
HORA: 14:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU sala 27
TÍTULO: ASPECTOS FÍSICOS OCULARES EM INDIVÍDUOS ADULTOS COM DEFICIÊNCIA ISOLADA E CONGÊNITA DO HORMÔNIO DO CRESCIMENTO.
PALAVRAS-CHAVES: GH, Deficiência de GH, IGF-I, acuidade visual, erro de refração, pressão intra-ocular, comprimento axial, a espessura da córnea.
PÁGINAS: 78
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

Os aspcetos oculares físicos são fundamentais para focar uma imagem nítida sobre a retina. Fatores de crescimento são necessárioss para a aquisição de um globo ocular maduro e consequente visão adequada. No entanto, as consequências da deficiencia do hormonio de crescimento (GH) pituitário e do seu efetor circulante, o fator de crescimento semelhante à insulina tipo I (IGF-I) sobre os aspectos físicos oculares humano ainda são controversas. Um modelo de deficiência isolada de GH (DIGH) não tratada pode esclarecer esta questão. O objetivo deste estudo foi avaliar os aspectos físicos do globo ocular de indivíduos adultos com DIGH que nunca receberam terapia com GH. Um estudo transversal foi realizado no Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe, Brasil em 26 adultos indivíduos com DIGH homozigotos para uma mutação nula (c.57 + 1G> A) no gene do receptor do hormonio liberador do GH (GHRH) e 24 controles pareados que foram submetidos a uma avaliação endócrina oftalmológica. As principais variáveis estudadsa foram: a acuidade visual, a pressão intra-ocular,o erro de refração,e os valores absolutos e corrigidos a pela estatura do comprimento axial ocular (CA), e da espessura central corneana (ECC). Apesar dos indetectáveis valores séricos de IGF-I, não houve diferença entre os grupos na acuidade visual, pressão intra-ocular, e o erro de refracção. Os individuos com DIGHD exibiram menores valores absolutos de CA e ECC do que os controles, mas os valores de CA e ECC corrigidos pela estatura foram maiores no grupoo DIGH que os controles. Estes achados sugerem falta de consequências de redução do GH pituitário e do IGF-I circualnte sobre o tamanho do globo ocular. Fatores de crescimento compensatórios, autócrinos ou parácrinos podem ser mais relevantes para os aspectos físicos oculares do que o GH pituitário e o IGF-I circulante.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1933157 - CARLA RAQUEL OLIVEIRA SIMOES
Externo ao Programa - 3204497 - FRANCISCO DE ASSIS PEREIRA
Externo à Instituição - GUSTAVO BARRETO DE MELO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5