UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Setembro de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: MARIA DO CARMO PRADO DE JESUS LIMA
23/09/2016 13:46


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA DO CARMO PRADO DE JESUS LIMA
DATA: 10/10/2016
HORA: 15:00
LOCAL: NIPPEC
TÍTULO: PRÁTICAS DE ORALIDADE COMO PERSPECTIVA DE LETRAMENTO, MEDIADAS PELA RÁDIO ESCOLAR.
PALAVRAS-CHAVES: Ensino. Letramento. Oralidade. Rádio Escolar.
PÁGINAS: 80
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Letras
SUBÁREA: Língua Portuguesa
RESUMO:

O presente trabalho trata de uma proposta intervencionista e aplicada envolvendo gêneros orais, que partiu de uma prática menos elaborada para uma mais próxima da escrita formal, ou seja, uma forma mais monitorada, utilizada em situações públicas formais de comunicação, que culminou na produção de programas radiofônicos apresentados à comunidade escolar e elaborados por alunos do 5º ao 9º ano e alunos da Educação de Jovens e Adultos do Ensino Fundamental (EJAEF II – 1ª ETAPA) de uma escola pública de Itabaiana/SE, na qual a pesquisadora trabalha. Reconhecemos a grande importância da oralidade, principalmente em situações formais em que se exige um maior comprometimento do falante em relação à utilização da linguagem, porém percebe-se que a escola, de maneira geral, não tem se preocupado com essa abordagem, despendendo tempo apenas ao ensino da escrita, direcionamento unilateral que pode levar a incompletudes na formação mais integral dos educandos. O principal objetivo desta proposta é a preparação dos alunos para a utilização dos gêneros orais nas diferentes situações de comunicação, alertando-os para a adequação da linguagem nos diferentes contextos de uso. Utilizamo-nos do suporte rádio escolar e vimos que, por meio dele, o aluno tem a oportunidade de lidar com diferentes gêneros textuais orais comuns a uma programação de rádio, direcionada ao contexto em questão. Com este propósito, pretende-se um ensino mais dinâmico, atraente e eficaz, que estimule a participação ativa dos alunos, desenvolvendo o senso crítico e sua capacidade de percepção dos variados usos da linguagem, de modo que se efetivem os letramentos constituídos a partir da capacidade de uso da linguagem nas diferentes instâncias públicas. Além da criação dos programas, elaborou-se um movie maker explicitando razões para uma abordagem da oralidade e de alguns passos para a construção de um plano de trabalho, visando ao desenvolvimento da expressão oral do alunado. Para tais práticas, houve a realização de oficinas na escola sobre os gêneros orais formais, conduzindo os discentes a uma reflexão sobre a importância da oralidade para a interação e a formação do cidadão. Foram levados, também, para uma emissora de rádio pública com o intuito de conhecer um pouco de seu funcionamento, além das diferentes linguagens utilizadas (mais formais para as menos formais) e, depois, o contato com a própria rádio escolar. As nossas reflexões foram respaldadas pelos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN), Base Nacional Comum – ainda em análise - (BNC), além de teóricos como Bakhtin (1992, 2002), Baltar (2008, 2010, 2012), Marcuschi (1995, 2008, 2010), Marcuschi e Dionisio (2007), Milanez (1993), Schnewly/Dolz (2004), além de outros pesquisadores da área em questão. Os resultados evidenciam que os alunos obtiveram um maior domínio dos recursos não verbais presentes na comunicação, bem como uma maior capacidade de reflexão em suas escolhas linguísticas no que diz respeito ao contexto discursivo.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2766893 - MARILEIA SILVA DOS REIS
Interno - 2865742 - MARCIA REGINA CURADO PEREIRA MARIANO
Interno - 1687732 - JEANE DE CASSIA NASCIMENTO SANTOS
Externo ao Programa - 426219 - ANTONIO PONCIANO BEZERRA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r16104-201f40f5e2