UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MARIA AUXILIADORA SILVA PEREIRA
02/09/2016 08:37


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA AUXILIADORA SILVA PEREIRA
DATA: 19/09/2016
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 27
TÍTULO: CAPEAMENTO PULPAR INDIRETO APENAS COM IONÔMERO DE VIDRO: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO CONTROLADO
PALAVRAS-CHAVES: Hidróxido de cálcio, Cárie dentária, Tratamento expectante
PÁGINAS: 45
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
SUBÁREA: Clínica Odontológica
RESUMO:

O objetivo deste ensaio clínico foi avaliar o efeito do uso de forramento com cimento de hidróxido de cálcio em restaurações provisórias durante o tratamento expectante. Lesões cariosas profundas envolvendo o terço interno da dentina de dentes posteriores foram incluídas no estudo. A espessura da dentina remanescente foi mensurada radiograficamente, seguido pela análise de aspectos clínicos (cor, consistência e humidade) e de contagem bacteriana. Após a remoção incompleta da dentina cariada, as cavidades foram restauradas com cimento de ionômero de vidro modificado por resina usando (controle) ou não (experimental) um forramento com cimento de hidróxido de cálcio. A presença de necrose/ pulpite irreversível nos primeiros 15 dias após o tratamento foi avaliado (desfecho primário). Após 90 dias, as cavidades foram reabertas e os aspectos clínicos, espessura da dentina remanescente e contagem bacteriana novamente avaliados. O risco relativo para o desenvolvimento de necrose pulpite irreversível foi calculado. O efeito do tratamento e do tempo de avaliação nos escores dos aspectos clínicos foram estatisticamente analisados pelos testes de Mann-Whitney e Wilcoxon. Já os dados de contagem bacteriana e espessura de dentina remanescente foram submetidos a ANOVA de duas vias. O uso de forramento de hidróxido de cálcio não afetou o risco à necrose/ pulpite irreversível. Em geral, dentina mais escura, dura, seca e com menos bactérias foi encontrado após a remoção da restauração provisória, independente do tratamento. Apenas para a cor houve diferença entre tratamentos, quando o uso de forramento com hidróxido de cálcio produziu uma dentina mais escura. Nenhuma modificação na espessura de dentina remanescente foi observada após 90 dias, sem diferença entre os tratamentos. Em conclusão, o uso de forrador à base de hidróxido de cálcio parece não afetar os resultados do tratamento expectante.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1695058 - MARCO ANTONIO PRADO NUNES
Externo ao Programa - 2088482 - ALAIDE HERMINIA DE AGUIAR OLIVEIRA
Externo ao Programa - 426368 - ROSA MARIA VIANA DE BRAGANCA GARCEZ

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12692-c69972fb69