UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MARCIA FERREIRA CANDIDO DE SOUZA
30/08/2016 09:15


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCIA FERREIRA CANDIDO DE SOUZA
DATA: 05/09/2016
HORA: 14:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU
TÍTULO: Identificação dos Pontos de Corte da Circunferência do Pescoço para Determinação dos Níveis de Excesso de Peso e Predição do Risco Cardiometabólico em Adolescentes
PALAVRAS-CHAVES: Adolescente; Pescoço; Obesidade; Doenças Cardiovasculares
PÁGINAS: 80
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Nutrição
RESUMO:

A circunferência do pescoço elevada pode indicar excesso de peso e o desenvolvimento de doenças cardiovasculares por identificar um acúmulo de moléculas de gordura na parede das artérias carótidas. Baseado nessa evidência, a presente tese tem como objetivo identificar os pontos de corte da Circunferência do Pescoço (CP) para determinação dos níveis de excesso de peso e predição do risco cardiometabólico em adolescentes. Foi realizado um estudo transversal com adolescentes de 12 a 17 anos de escolas públicas e privadas de Aracaju e Nossa Senhora do Socorro, em Sergipe. Foram coletados dados demográficos, antropométricos, bioquímicos e mensurada a Pressão Arterial (PA) dos adolescentes do estudo. O Risco Cardiometabólico foi avaliado segundo os critérios do Risk Score PDAY. Para a análise descritiva foram calculadas as frequências, médias e desvios-padrão das variáveis antropométricas, demográficas, bioquímicas e pressão arterial. Foi utilizado o testes de Mann-Whitney para comparação dos dados entre os grupos de adolescentes por gênero e faixa etária. O Coeficiente de correlação de Spearman foi utilizado para avaliar a associação entre a CP e as variáveis antropométricas, bioquímicas e PA. Foi analisada por meio da curva ROC a validade preditiva da CP na identificação dos níveis de excesso de peso e do risco cardiometabólico. A amostra foi composta por 1474 adolescentes com idade média de 14,59 ± 1,57 anos, sendo 55,3% do sexo feminino. A CP correlacionou-se positivamente com outros indicadores de adiposidade como a circunferência da cintura e o Índice de Massa Corporal. A CP foi o indicador antropométrico que mais se associou significativamente aos fatores de risco cardiometabólico (PA, HDL-colesterol, insulina, glicemia de jejum e hemoglobina glicosilada) e foi o único indicador que se associou significativamente com a insulina (p=0,02). Os pontos de corte da CP determinados pelo estudo para identificação de sobrepeso e obesidade para o sexo masculino na faixa etária de 12 a 14 anos foram, respectivamente, 34,1 cm e 34,9 cm; e para o sexo feminino 32,05 cm e 33,85 cm. Para o sexo masculino na faixa etária de 15 a 17 anos os pontos de corte para sobrepeso e obesidade foram, respectivamente, 36,8 cm e 38,4 cm; e para o sexo feminino 32,9 cm e 35,8 cm. Os pontos de corte da CP para predição do risco cardiometabólico foram os seguintes: Risco Intermediário (sexo masculino: 35,6 cm; sexo feminino: 31,0 cm); Alto Risco (sexo masculino: 35,6 cm; sexo feminino: 32,1 cm); Resistência à Insulina (sexo masculino: 33,0 cm; sexo feminino: 36,5 cm). A Circunferência do Pescoço apresentou correlação significativa com outros indicadores de adiposidade podendo ser utilizada para identificar adolescentes com excesso de peso e risco cardimetabólico.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1632071 - DANIELLE GOES DA SILVA
Externo ao Programa - 2021286 - LILIANE VIANA PIRES
Externo ao Programa - 2571568 - RAQUEL SIMOES MENDES NETTO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5