UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 20 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: VANESSA DOS SANTOS ALCANTARA NASCIMENTO
26/08/2016 14:35


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VANESSA DOS SANTOS ALCANTARA NASCIMENTO
DATA: 31/08/2016
HORA: 09:00
LOCAL: A definir
TÍTULO: Sistemas microemulsionados contendo óleo essencial de Lippia gracilis: Obtenção, caracterização e potencial ação amebicida.
PALAVRAS-CHAVES: Acanthamoeba. Ceratite amebiana. Microemulsão. Lippia gracilis.
PÁGINAS: 91
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Amebas de vida livre (AVL), pertencentes ao gênero Acanthamoeba, estão amplamente distribuídas na natureza, sendo encontradas em diversos tipos de solo e água, no ar, em ar-condicionado e esgotos, entre outros ambientes. Essas amebas são capazes de ocasionar graves doenças nos seres humanos, destacando a encefalite granulomatosa e a ceratite amebiana. A ceratite amebiana é uma doença infecciosa que acomete a córnea e que pode levar a cegueira, apresentando sintomas como visão borrada, dor intensa, fotofobia e aumento da pressão ocular. Os usuários de lentes de contato são os mais propícios a este tipo de infecção, pois podem apresentar microtraumatismos na córnea, o que torna o ambiente favorável a ação dessas amebas. Ainda não existe um tratamento eficaz para esta doença e a maioria dos medicamentos utilizados sofre resistência por parte do parasito e outros, como os corticosteróides, podem apresentar uma melhora inicial, mas em seguida o agravamento da doença. As soluções para limpeza das lentes de contato também não são tão eficientes em eliminar este parasita, uma vez que a ISO 14729 e a FDA (Food and Drug Administration, Estados Unidos), que regulamentam os requisitos microbiológicos e os métodos de ensaio para a produção de produtos de higiene para lentes de contato, não obrigam que essas soluções sejam testadas contra Acanthamoeba, o que torna os usuários de lentes mais propícios a este tipo de infecção. Diante disto, o objetivo deste trabalho foi desenvolver e caracterizar sistemas microemulsonados, contendo o óleo essencial de Lippia gracilis como fase oleosa e analisar sua potencial ação amebicida frente a trofozoítos de Acanthamoeba castellanii. As formulações foram preparadas através do uso do diagrama de fase, utilizando o Tween 80 e o propilenoglicol como tensoativos e cotensoativos do sistema. A caracterização físico-química das formulações foi realizada por meio de análises de microscopia de luz polarizada, reologia, espalhamento de luz a baixo ângulo (SAXS), condutividade elétrica, tamanho de partícula e índice de polidispersão. Foram realizados ensaios de atividade amebicida frente à trofozoítos de A. castellanii da formulação em questão e de todos os seus excipientes separados. As amostras obtidas apresentaram-se transparentes e termodinamicamente estáveis com tamanho de gotícula e índice de polidispersão característicos de microemulsão. As formulações apresentaram-se isotrópicas na microscopia de luz polarizada e, através das curvas de SAXS, foi possível observar que as formulações apresentaram características de microemulsão bicontínua e que possuem baixa condutividade elétrica a qual pode estar associada a alta quantidade de tensoativo. As propriedades reológicas do sistema demonstraram que estes possuem comportamento newtoniano característico de microemulsão e que a viscosidade aumenta quando diminui a quantidade de óleo e, consequentemente, o tamanho da gotícula. Nos ensaios biológicos, os tensoativos não apresentaram atividade significativa frente aos trofozoítos e o óleo essencial de L. gracilis apresentou uma IC50 de 9,52µg/ml. Quando o teste foi realizado com a microemulsão contendo o mesmo óleo, essa IC50 caiu para 2,55 µg/ml e, ao utilizar uma formulação com tamanho de gotícula menor, esse valor caiu para 0,65 µg/ml, comprovando, assim, a eficácia do nanossistema.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1686032 - ANA AMELIA MOREIRA LIRA
Externo ao Programa - 1787754 - LUCIENE BARBOSA
Presidente - 2337777 - ROGERIA DE SOUZA NUNES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307