UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 19 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: JOSÉ JORGE BARRETO TORRES
08/08/2016 11:41


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSÉ JORGE BARRETO TORRES
DATA: 31/08/2016
HORA: 13:30
LOCAL: SALA DE SEMINÁRIOS DO DCOMP
TÍTULO: Identificação e análise de clones de códigos heterogêneos em um ambiente corporativo de desenvolvimento de software.
PALAVRAS-CHAVES: Mineração de Repositórios de Software; Clones; Engenharia de Software Experimental; Código Fechado de Ambientes Corporativos
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Ciência da Computação
SUBÁREA: Metodologia e Técnicas da Computação
ESPECIALIDADE: Engenharia de Software
RESUMO:

A exigência por acelerar o desenvolvimento de software nas empresas desencadeia uma série de problemas relacionados à organização do código. As equipes de desenvolvimento, pressionadas a cumprir prazos ditados pela área de negócio, adotam a prática ruim de copiar e colar código. Assim, os clones são criados e povoam os repositórios de software dessas companhias, tornando o aprimoramento e manutenção dos sistemas cada vez mais dificultado. Linguagens de programação que possuem características do paradigma de orientação a objetos tendem a facilitar ainda mais o processo de abstração de código e de reaproveitamento. No entanto, uma questão pode ser feita: uma mesma equipe, trabalhando com diversos tipos de linguagens, sofre influência destes tipos, no que diz respeito à diminuição da incidência de clones? Este trabalho propôs uma abordagem para identificar, analisar e comparar clones em repositórios heterogêneos de software, com uma análise tênue do perfil da equipe envolvida. A avaliação experimental da abordagem foi realizada por meio de dois experimentos controlados, os quais visaram a detecção e a avaliação de clones, utilizando e adaptando o ferramental disponível no mercado. Esta avaliação foi executada in-vivo, em um ambiente organizacional real, o qual possuía uma grande quantidade de aplicações e linhas de código fechado disponíveis para análise. Os resultados finais não apresentaram relação direta com a quantidade de linhas de código das aplicações. Sistemas de linguagem procedural apresentaram menor incidência de clones e, no conflito entre sistemas de código aberto e fechado, ambos tiveram resultados similares no que diz respeito à manifestação de clones de código-fonte.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2227110 - METHANIAS COLACO RODRIGUES JUNIOR
Interno - 1780222 - MICHEL DOS SANTOS SOARES
Externo à Instituição - GLAUCO DE FIGUEIREDO CARNEIRO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307