UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 28 de Setembro de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: MÁRCIA RAQUEL MOURA VASCONCELOS
28/07/2016 16:19


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MÁRCIA RAQUEL MOURA VASCONCELOS
DATA: 30/07/2016
HORA: 09:00
LOCAL: SALA 1 - PPGAGRI
TÍTULO: INFLUÊNCIA DE SUBSTRATOS E NPK NA ACLIMATIZAÇÃO DE MUDAS MICROPROPAGADAS DE Tillandsia bulbosa HOOK
PALAVRAS-CHAVES: Bromeliaceae, substratos, adubação e anatomia foliar.
PÁGINAS: 36
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

As bromeliáceas são conhecidas mundialmente por seu potencial ornamental. No Brasil as espécies de Tillandsia podem ser encontradas na Mata Atlântica, Floresta Amazônica e campos rupestres. Diante disso objetivou-se com o presente trabalho avaliar misturas de substratos, adubação química na aclimatização e analisar as características anatômicas de mudas da espécie Tillandsia bulbosa Hook do Estado de Sergipe. Os experimentos foram conduzidos no Laboratório de Cultura de Tecidos e Melhoramento Vegetal do Departamento de Engenharia Agronômica (DEA) da Universidade Federal de Sergipe (UFS). O primeiro experimento foi implantado em delineamento inteiramente casualizado, utilizando cinco misturas de substratos, sendo pó de coco: húmus de minhoca (2:1); pó de coco: húmus de minhoca: areia (1:1:1); pó de coco: húmus de minhoca: areia (2:1:1); pó de coco: húmus de minhoca: areia (2:2:1) e vermiculita: húmus de minhoca (2:1). O segundo experimento foi implantado em DIC onde foram utilizadas ureia, fosfato supersimples e cloreto de potássio como fontes de N, P e K respectivamente, utilizando 50, 100, 200 e 400% distribuídos nos seguintes tratamentos: aplicação total no plantio; ½ no plantio e ½ aos 80 DAP; 1/3 no plantio, 1/3 aos 50 DAP e 1/3 aos 100 DAP e ¼ no plantio, ¼ aos 30 DAP, ¼ aos 60 DAP e ¼ aos 120 DAP. Foi realizado o estudo anatômico nos dois experimentos de aclimatização, sendo que no primeiro foram coletadas folhas aos na implantação e a cada vinte dias (0, 20, 40 e 60 dias) e no segundo experimento as folhas foram coletadas aos 180 dias. Foi realizado também a microscopia eletrônica de varredura onde foram analisadas apenas as folhas cultivadas in vitro. Os resultados obtidos mostraram que as plantas a partir de 60 dias da aclimatização, as plantas apresentam características anatômicas que podem favorecer a adaptação delas às condições de campo. As doses entre 50 a 100% de NPK proporcionaram melhores resultados, indicando que estas doses podem ser aplicadas toda no plantio sem haver a necessidade do parcelamento. As doses de NPK, também influenciaram no desenvolvimento e no espessamento celular nas mudas de T. bulbosa.

As bromeliáceas são conhecidas mundialmente por seu potencial ornamental. No Brasil as espécies de Tillandsia podem ser encontradas na Mata Atlântica, Floresta Amazônica e campos rupestres. Diante disso objetivou-se com o presente trabalho avaliar misturas de substratos, adubação química na aclimatização e analisar as características anatômicas de mudas da espécie Tillandsia bulbosa Hook do Estado de Sergipe. Os experimentos foram conduzidos no Laboratório de Cultura de Tecidos e Melhoramento Vegetal do Departamento de Engenharia Agronômica (DEA) da Universidade Federal de Sergipe (UFS). O primeiro experimento foi implantado em delineamento inteiramente casualizado, utilizando cinco misturas de substratos, sendo pó de coco: húmus de minhoca (2:1); pó de coco: húmus de minhoca: areia (1:1:1); pó de coco: húmus de minhoca: areia (2:1:1); pó de coco: húmus de minhoca: areia (2:2:1) e vermiculita: húmus de minhoca (2:1). O segundo experimento foi implantado em DIC onde foram utilizadas ureia, fosfato supersimples e cloreto de potássio como fontes de N, P e K respectivamente, utilizando 50, 100, 200 e 400% distribuídos nos seguintes tratamentos: aplicação total no plantio; ½ no plantio e ½ aos 80 DAP; 1/3 no plantio, 1/3 aos 50 DAP e 1/3 aos 100 DAP e ¼ no plantio, ¼ aos 30 DAP, ¼ aos 60 DAP e ¼ aos 120 DAP. Foi realizado o estudo anatômico nos dois experimentos de aclimatização, sendo que no primeiro foram coletadas folhas aos na implantação e a cada vinte dias (0, 20, 40 e 60 dias) e no segundo experimento as folhas foram coletadas aos 180 dias. Foi realizado também a microscopia eletrônica de varredura onde foram analisadas apenas as folhas cultivadas in vitro. Os resultados obtidos mostraram que as plantas a partir de 60 dias da aclimatização, as plantas apresentam características anatômicas que podem favorecer a adaptação delas às condições de campo. As doses entre 50 a 100% de NPK proporcionaram melhores resultados, indicando que estas doses podem ser aplicadas toda no plantio sem haver a necessidade do parcelamento. As doses de NPK, também influenciaram no desenvolvimento e no espessamento celular nas mudas de T. bulbosa.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2307480 - MARIA DE FATIMA ARRIGONI BLANK
Externo ao Programa - 2586933 - MARIA APARECIDA MOREIRA
Externo à Instituição - ANA CATARINA LIMA DE OLIVEIRA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r16104-201f40f5e2