UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 08 de Fevereiro de 2023

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ROSEANNE SANTOS DE CARVALHO
18/07/2016 15:46


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROSEANNE SANTOS DE CARVALHO
DATA: 09/08/2016
HORA: 09:00
LOCAL: PRODEMA
TÍTULO: Análise do reuso de água residuária com tratamento terciário à base de carvão ativado do bagaço da laranja.
PALAVRAS-CHAVES: biochar, efluentes, micropoluentes emergentes, hidroclorotiazida
PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

Diversos países já adotam a prática da tecnologia do reuso e possuem
regulamentações específicas na temática, fundadas em riscos potenciais voltados à presença
de microrganismos patogênicos. Contudo, o avanço tecnológico ocorrido a partir da 2ª
Grande Guerra Mundial introduziu no mercado uma ampla variedade de substâncias ou
compostos químicos utilizados cotidianamente, os micropoluentes emergentes, nos quais
acabam atingindo o meio ambiente, podendo ser prejudicial à fauna, à flora e até ao próprio
homem. As substâncias em questão mesmo apresentando-se em concentrações muito baixas,
na ordem de microgramas por litro ou nanogramas por litro (ng.L -1 ou µg.L -1 ), podem
apresentar inúmeros efeitos, dentre os quais pode-se destacar relacionados ao sistema
endócrino e a doenças carcinogênicas. Dentre os micropoluentes emergentes, dos fármacos
que se apresentam em ascendência no país destacam-se os voltados à hipertensão, doença
crônica, causadora de níveis elevados da pressão sanguínea nas artérias. A principal rota de
contaminação dos micropoluentes é o ambiente aquático, o ser humano elimina os dejetos
que vão à rede coletora de esgotos no qual os tratamentos convencionais por não terem sido,
sobretudo, projetados com o objetivo de remoção desses compostos, requerem uma etapa
complementar para atingir esta finalidade. A adsorção, fenômeno ocorrido sobretudo no
carvão ativado, apresenta-se sob forma eficiente e econômica e vem despertando elevado
interesse em relação à pesquisa de novos materiais que possam ser utilizados como
adsorventes, principalmente em relação à bioadsorção, por apresentar uma proposta
promissora, eficiente, economicamente viável e ecologicamente sustentável quando
comparado aos demais métodos de descontaminação. O resíduo da laranja pode causar
muitos problemas econômicos e ambientais devido principalmente à sua elevada
fermentação, a indústria tem grande interesse em desenvolver novas aplicações para o
bagaço da laranja, destacando-se a utilização deste material como adsorvente no tratamento
de efluentes. Torna-se clara a preocupação relativa quanto à contaminação hídrica pelos
micropoluentes emergentes na qual se desconhece os efeitos ecotoxicológicos. Assim,
propõe-se neste projeto a análise do reuso de água residuária tratada por sistema secundário
de baixo custo e proposta de um sistema combinado com tratamento terciário de baixo custo
(biochar do bagaço da laranja), para a investigação da capacidade de degradação de
micropoluentes emergentes do tipo fármacos. Será caracterizado o biocarvão e monitoradas
as características das substâncias no afluente e efluente. Espera-se como resultado a
comprovação de um produto sustentável para a remoção do contaminante hidroclorotiazida
da água residuária.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1834882 - ARIOVALDO ANTONIO TADEU LUCAS
Externo ao Programa - 1295924 - CARLOS ALEXANDRE BORGES GARCIA
Presidente - 2579022 - GREGORIO GUIRADA FACCIOLI
Externo ao Programa - 4178490 - INAJA FRANCISCO DE SOUSA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2023 - UFRN v3.5.16 -r18303-e3ba61daf4