UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 24 de Junho de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: KELLY ISADORA DE OLIVEIRA CORREIA
15/07/2016 14:40


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: KELLY ISADORA DE OLIVEIRA CORREIA
DATA: 27/07/2016
HORA: 16:00
LOCAL: Auditório do Pólo de Gestão da UFS
TÍTULO: DIVERSIDADE TAXONÔMICA, FILOGENÉTICA E FUNCIONAL DE AVES EM GRADIENTES AMBIENTAIS NA CAATINGA
PALAVRAS-CHAVES: assembleias de aves; dimensões da biodiversidade; gradientes; incerteza filogenética; semi-árido
PÁGINAS: 40
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

Diversidade biológica é um conceito amplo, profundo e multifacetado que descreve toda variabilidade de formas de vida em diferentes escalas espaciais, temporais e níveis de organização. Mesmo entre espécies, a diversidade pode assumir distintos caráteres, incluindo o taxonômico, o evolutivo e funcional. Ecossistemas semiáridos como a Caatinga foram pouco estudados sob uma perspectiva integrada da biodiversidade. A região possui alta variabilidade biótica e sofre intensa pressão de fatores abióticos e antrópicos. Com cerca de 500 espécies conhecidas no bioma, as aves compõem um grupo biológico expressivo da Caatinga, com distintas linhagens evolutivas e características ecológicas. Este trabalho objetiva compreender os aspectos evolutivos e ecológicos da diversidade de aves da Caatinga e seus determinantes ambientais. Especificamente, buscamos (i) sumarizar o conhecimento existente sobre as assembleias de aves do bioma, suas relações filogenéticas e diferenças ecológicas (funcionais); (ii) investigar as inter-relações entre a diversidade taxonômica, filogenética e funcional, incluindo distintas medidas destas; (iii) avaliar os efeitos de diferentes gradientes ambientais (climáticos e estruturais) sobre essas diferentes dimensões da diversidade; e (iv) avaliar os efeitos desses fatores sobre a diversidade funcional de traços individuais. Reunimos informações de 123 assembleias de aves da Caatinga a partir da literatura disponível e utilizamos uma árvore filogenética das espécies e um conjunto de traços funcionais espécie-específicos para estimar a diversidade filogenética e funcional, respectivamente. Ainda, exploramos diferentes métricas de diversidade, a fim de entender suas inter-relações e selecionar aquelas menos enviesadas pela riqueza e esforço amostral. 523 espécies compuseram a diversidade regional da Caatinga. Os padrões de diversidade filogenética e funcional foram coincidentes quanto à distribuição espacial e a hipótese ambiental, tendo o clima atual como fator principal. Entretanto, a diversidade de traços funcionais individuais divergiu qualitativa e quantitativamente da diversidade funcional total. Esses resultados reforçam a necessidade de intensificar os esforços amostrais na Caatinga, permitem compreender o efeito das condições ambientais na formação das assembleias de aves em termos ecológicos e evolutivos, e por fim, alerta para o problema de selecionar traços ecológicos para descrever a diversidade funcional.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2019114 - SIDNEY FEITOSA GOUVEIA
Interno - 2260274 - PABLO ARIEL MARTINEZ
Externo à Instituição - JUAN MANUEL RUIZ ESPARZA AGUILAR

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9