UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 18 de Setembro de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: EDINALDO DE OLIVEIRA ALVES SENA
06/07/2016 11:56


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: EDINALDO DE OLIVEIRA ALVES SENA
DATA: 06/07/2016
HORA: 14:30
LOCAL: SALA 2 - PPGAGRI
TÍTULO: Hidroresfriamento, revestimento comestível e cálcio como alternativas no tratamento pós-colheita de pedúnculos de caju
PALAVRAS-CHAVES: Anacardium occidentale L., temperatura, armazenamento, senescência, bioquímica, fisiologia pós-colheita.
PÁGINAS: 85
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

Este estudo teve como objetivo o uso de tecnologias alterativas, físicas e químicas, para preservar a qualidade comercial, melhorar a capacidade de armazenamento, e aumentar a vida útil de pedúnculos de caju (Anacardium occidentale L.). Para determinar a temperatura a ser utilizada no hidroresfriamento, pedúnculos foram imersos em água contendo gelo a 1, 3, 5 e 7°C. Foram determinadas a taxa de resfriamento, cor, frescor, avaliação visual, perda de peso e propriedades térmicas. Após a aplicação do hidroresfriamento os pedúnculos foram armazenados por até 15 dias em expositor vertical a 5oC. Após a determinação da temperatura para hidroresfriamento, pedúnculos de caju foram hidroresfriados e resfriados em expositor vertical a 5°C, com armazenamento refrigerado por 25 dias. A cada cinco dias amostras foram retiradas para análises físicas, físico-químicas e enzimáticas. Para o estudo de revestimento comestível pedúnculos foram submetidos a quatro tratamentos: hidroresfriamento, hidroresfriamento com posterior aplicação de cloreto de cálcio 2%, revestimento comestível a base de amido de milho 4%, e revestimento comestível enriquecido com cálcio. Após aplicação dos tratamentos os pedúnculos foram armazenados por 25 dias. A cada cinco dias amostras foram retiradas para análises bioquímicas, físicas, físico-químicas e enzimáticas. A temperatura de hidroresfriamento que melhor manteve a qualidade dos pedúnculos sem induzir danos por frio foi à temperatura de 5°C com tempo de resfriamento de 29 min. O hidroresfriamento retardou a perda de peso, firmeza, degradação de acido ascórbico e acidez, e menores atividades das enzimas PPO e POD quando comparado ao uso de expositor vertical. Não foram observadas variações significativas em relação às análises carotenóides, fenóis aparentes, sólidos solúveis e cor entre os tratamentos estudados. Deste modo, o hidroresfriamento se apresentou com tecnologia eficaz de resfriamento e manutenção da qualidade de pedúnculos de caju. A aplicação de cálcio tanto no revestimento comestível como após o hidroresfriamento proporcionou uma maior firmeza e menor atividade da pectinametilesterase e polifenoloxidase dos pedúnculos, mantendo a integridade na parede celular. O hidroresfriamento diminuiu as taxas de perda de peso, como de antocianinas e carotenóides, o que resultou na manutenção da qualidade visual, e menor degradação de ácido ascórbico, quando comprados a frutos revestidos. O revestimento a base de amido de milho não foi eficiente na manutenção da qualidade dos pedúnculos durante o período de armazenamento. Pedúnculos de caju, quando hidroresfriados conservaram por mais de 20 dias e para os demais tratamentos a vida útil variou entre 15 e 20 dias. Estes resultados sugerem que o uso do hidroresfriamento e a utilização de cálcio foram eficazes na preservação da qualidade e vida útil de pedúnculos de caju.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1562875 - LUIZ FERNANDO GANASSALI DE OLIVEIRA JUNIOR
Presidente - 1460010 - MARCELO AUGUSTO GUTIERREZ CARNELOSSI
Externo à Instituição - STEVEN ALONSO SARGENT

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r16088-62c448d53e