UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: THAIS SERAFIM LEITE DE BARROS SILVA
01/07/2016 13:48


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: THAIS SERAFIM LEITE DE BARROS SILVA
DATA: 13/07/2016
HORA: 08:00
LOCAL: Hospital Universitário Didática II sala 2
TÍTULO: FATORES DE RISCO PARA NEAR MISS NEONATAL EM MATERNIDADE DE ALTO RISCO EM ARACAJU
PALAVRAS-CHAVES: Near miss. Fatores de risco. Mortalidade neonatal precoce.
PÁGINAS: 64
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

Aproximadamente 10,5 milhões de crianças com menos de 5 anos morrem a cada ano em todo o mundo. A maioria absoluta dessas mortes é evitável e ocorre em países em desenvolvimento. Trinta e oito por cento dos óbitos de bebês acontece durante o período neonatal e 3 milhões de mortes são registradas na primeira semana de vida. No Brasil, a maioria absoluta dos partos são realizados em ambiente hospitalar e metade dos óbitos infantis ocorre durante a primeira semana de vida. A identificação de casos de near miss neonatal (NMN), que são em maior número que o de óbitos, pode possibilitar a detecção de fatores de risco que influenciam a alta taxa de mortes na primeira semana de vida e assim possibilitar a implantação de medidas preventivas relevantes para a redução da mortalidade infantil. Objetivo: O objetivo desta pesquisa foi analisar os fatores de risco para NMN na Maternidade de Alto Risco de Aracaju/Sergipe/Brasil. Método: Foi realizado um estudo caso-controle em que foram classificados os casos de NMN e seus respectivos controles, após avaliação de todos prontuários dos nascidos vivos das grávidas internadas para parto no período de março/2015 a setembro/2015. Após essa identificação, procedeu-se a coleta de informações através de entrevistas com as mães dos neonatos e verificação dos prontuários e cartões das gestantes. Para a análise dos dados foi utilizada a estatística descritiva por meio de frequências absolutas e relativas, medidas de tendência central e variabilidade. As associações foram avaliadas por meio do teste do Qui-Quadrado e o teste t de Student, com nível de significância α = 0,05. Em seguida, foi realizada análise de regressão logística contemplando as variáveis, levando em consideração um p < 0,20. A análise multivariada foi feita com as variáveis pré-selecionadas na etapa anterior, de acordo com a hierarquização apresentada no modelo conceitual. O critério estabelecido nesta etapa de análise para que as variáveis permanecessem no modelo foi de p < 0,05. Resultados: Foram classificados como NMN 125 recém-nascidos (casos) e selecionados 250 controles. Foi observada semelhança entre as médias de idades dos casos (média=25.9+ 7) e dos controles (média=25.6+ 6.9). Quase a totalidade das mães frequentou a escola, representando 97% das entrevistadas (344/356). Os neonatos de mães que não fizeram pré-Natal tiveram maior risco de NMN (OR = 0.04; IC95%: 0.00-0.29). O risco de NMN foi maior para os RNs de grávidas que tiveram alguma intercorrência na gestação atual (OR= 13.37; IC95%:7.22-24.76). O uso de corticóide apresentou a maior relação com o NMN (OR= 17.51; IC95%: 9.76-31.40). Conclusão: A realização de pré-Natal, intercorrências na gestação e uso de corticoide foram os fatores de risco identificados para NMN.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 426673 - RICARDO QUEIROZ GURGEL
Interno - 1315121 - DIVALDO PEREIRA DE LYRA JUNIOR
Externo ao Programa - 3295741 - ELEONORA RAMOS DE OLIVEIRA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5