UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 31 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: INGRID CRISTIANE PEREIRA GOMES
23/05/2016 13:46


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: INGRID CRISTIANE PEREIRA GOMES
DATA: 10/06/2016
HORA: 14:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU Sala 26
TÍTULO: Avaliação do Crescimento e puberdade e perfil endócrino-metabólico do paciente com anemia falciforme
PALAVRAS-CHAVES: Anemia falciforme, estudos prospectivos, crescimento, puberdade; glândulas endócrinas.
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

A anemia falciforme (AF), doença hereditária mais prevalente no mundo, apresenta, dentre diversas complicações, alterações endócrino-metabólicas, destacando-se retardo de crescimento e puberdade em crianças e adolescentes. A estatura final dos adultos com AF, entretanto, ainda é controversa e pouco estudada na literatura. Esta dissertação é composta por dois artigos originais. No primeiro artigo, “Growth and puberty in a prospective cohort of patients with sickle cell anaemia: assessment in ten years”, observou-se, a partir de uma coorte prospectiva, que os pacientes com AF apresentaram comprometimento de crescimento e atraso puberal quando comparados a controles saudáveis, todavia, ainda que tardiamente, atingiram maturação sexual normal. Além disso, alcançaram estatura normal na idade adulta, diferentemente do que ocorreu com peso e IMC, achado ainda mais evidente no sexo masculino. No segundo artigo, “Perfil endócrino-metabólico de adultos portadores de anemia falciforme”, observou-se que os homens com AF apresentaram maiores níveis de gonadotrofinas. Níveis das lipoproteínas de alta densidade (HDL) e baixa densidade (LDL) também foram menores no grupo AF. A elevada prevalência de HDL reduzido (96%) no grupo AF e suas correlações positivas com número de hemácias, concentração de hemoglobina e negativa com contagem de reticulócitos e leucócitos apontam para a possibilidade de o HDL poder se configurar um marcador que auxilie na predição de eventos clínicos adversos nesta população. Apesar de não ter havido diferença dos níveis de 25-hidroxivitamina entre os grupos, constatou-se maior prevalência de sua deficiência e insuficiência no grupo AF, o que potencializa o risco, já existente nesta população, de osteoporose. Os achados de ambos os estudos caracterizam os pacientes com AF em relação à evolução de seu crescimento e desenvolvimento até a fase adulta e mostram alterações endócrino-metabólicas que merecem ser investigadas durante seu seguimento, a fim de prevenir outras complicações que possam comprometer sua qualidade de vida.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - AMAURY LELIS DAL FABBRO
Externo ao Programa - 1306129 - ELENILDE GOMES SANTOS
Presidente - 577945 - ROSANA CIPOLOTTI

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12838-31cfbbda77