UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 24 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: JUCIARA DOS SANTOS NASCIMENTO
29/04/2016 16:07


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JUCIARA DOS SANTOS NASCIMENTO
DATA: 23/05/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Sala F 02 do NUPEG ( Núcleo de Petroleo e Gas ) UFS
TÍTULO: : “CARACTERIZAÇÃO E MELHORAMENTO DE BIO-ÓLEO PROVENIENTE DE SEMENTE DE GOAIBA – Psidium guajava L.”
PALAVRAS-CHAVES: semente de goiaba, pirólise e resíduo
PÁGINAS: 110
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Química
SUBÁREA: Processos Industriais de Engenharia Química
RESUMO:

O presente trabalho teve como objetivo reutilizar resíduos (sementes) de goiaba como biomassa para produção de bio-óleo por meio da pirólise convencional. Para o desenvolvimento do trabalho os resíduos de goiaba foram adquiridos na Indústria de polpas e frutas – POMAR, localizada em Aracaju – SE. A biomassa apresentou teor de umidade de 3,49 ± 0,03%, alto teor de carbono (67,04%), nitrogênio (3,96%), oxigênio (22,86%), hidrogênio (6,18%), poder calorífico (24,69 MJ kg-1), teor de cinzas (0,76 ± 0,02%), proteínas (11,81 ± 0,36%), fibras (11,78 ± 0,45%) e óleo (11,78 ± 0,45%), celulose (48,71%), hemicelulose (11,52%) e lignina (10,12%). A curva termogravimétrica da amostra apresentou cerca de 90% de perda da massa na temperatura de 450°C. A biomassa foi utilizada em dois reatores para a produção de bio-óleo. Os experimentos preliminares realizado em reator de quartzo na UFRGS estudaram as variáveis: temperatura (500 a 700°C), massa da amostra (5 e 11g) e tempo de coleta (5 e 10 min), com fluxo de 1mL. min-1. A melhor condição a produção de bio-óleo foi 500°C, 11g de semente e com o tempo de coleta de 5 min. Em seqüência foram realizados os experimentos no reator de aço inox na UFS com temperatura de pirólise (500 °C) e fluxo (1mL.min.-1) constante e variáveis massa da amostra (10 e 20 g), granulometria (semente inteira e semente moída) e sais (K2HPO4 e K3PO4). Uma vez obtido o bio-óleo, este foi submetido a extrações líquido líquido em um funil de decantação de 250 mL, utilizando-se diclorometano (DCM) (60mL) para separação da fase orgânica (bio-óleo) e fase aquosa. Em termos de caracterização da fase orgânica, a presença de grupos funcionais característicos das funções fenol, álcool, ácidos, cetonas, e éster no espectro de infravermelho das amostras confirmam os resultados obtidos por GC/MS. Os compostos fenólicos são mais abundantes no experimento VI utilizando 10 % de K3PO4, porém o rendimento de bio-óleo foi maior no experimento realizado com 20 % de K2HPO4.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1879181 - LISIANE DOS SANTOS FREITAS
Interno - 2022042 - DANIEL PEREIRA DA SILVA
Interno - 426680 - GABRIEL FRANCISCO DA SILVA
Externo à Instituição - CLEIDE MARA FARIA SOARES
Externo à Instituição - LAIZA CANIELAS KRAUSE

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5