UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: VIRGÍNIA DE MENESES PEREIRA GURGEL
08/03/2016 14:03


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VIRGÍNIA DE MENESES PEREIRA GURGEL
DATA: 16/03/2016
HORA: 15:00
LOCAL: sala 27 Centro de Pesquisas Biomédicas/HU
TÍTULO: AVALIAÇÃO RETINIANA EM PORTADORES DE DEFICIÊNCIA CONGÊNITA E ISOLADA DE HORMÔNIO DO CRESCIMENTO
PALAVRAS-CHAVES: Deficiência Isolada de GH, GH, IGF-I, Retina, Neovascularização retiniana
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

O hormônio do crescimento (GH) influencia diversos setores do organismo responsáveis pela capacidade de adaptação ao ambiente e pela sobrevivência, a exemplo do sistema visual. A acuidade visual consiste na capacidade do olho de focar a luz na retina e em uma retina íntegra, capaz de receber e transmitir o estímulo luminoso. A influência do GH na neurogênese e angiogênese retinianas ainda não é completamente conhecida, apesar da demonstração em modelos animais da importância deste hormônio para a formação de vários tecidos oculares, incluindo a retina e de algumas descrições de redução da vascularização da retiniana em pacientes com deficiência de GH. O modelo de deficiência isolada de GH é ideal para estudar o papel deste hormônio nos tecidos oculares humanos. Os objetivos deste trabalho são avaliar a vascularização e espessura retinianas na deficiência congênita e isolada do GH (DIGH). Em estudo transversal, foram avaliados 23 adultos com DIGH devido à mutação homozigótica c.57+1 G>A no gene do receptor do hormônio liberador do GH e 22 controles normais. Todos foram submetidos à avaliação ocular através de fotografia do fundo do olho (para avaliar pontos de brotamentos vasculares, tamanho da escavação do disco óptico e o tamanho do disco óptico) e tomografia de coerência óptica (para avaliar a espessura da mácula, incluindo a fóvea e mais oito regiões), após cicloplegia. Os resultados mostram que os pacientes com DIGH apresentaram maior redução do número de brotamentos vasculares (p= 0, 0491). 91% dos IGHD e 53 %, dos controles apresentaram redução de leve intensidade. Os tamanhos do disco óptico e da escavação do disco foram aumentados na DIGH em relação aos controles (p= 0, 0003 e p= 0, 0047, respectivamente). Novamente a intensidade do aumento foi discreta com leve aumento no disco (64,3% DIGH e 7% controles) e na escavação, (64,3 % DIGH e 11% controles). Não houve diferença na espessura da fóvea, nem das demais regiões da mácula, entre DIGH e controles. Concluímos que os indivíduos com DIGH apresentam redução no número de brotamentos vasculares e aumento do tamanho do disco e da escavação do disco óptico. Todas as alterações foram de intensidade leve.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 3204497 - FRANCISCO DE ASSIS PEREIRA
Externo à Instituição - GUSTAVO BARRETO DE MELO
Interno - 577945 - ROSANA CIPOLOTTI

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307