UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 16 de Junho de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: DHULIA MACIELY DA CONCEIÇÃO SANTOS
19/02/2016 14:20


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DHULIA MACIELY DA CONCEIÇÃO SANTOS
DATA: 11/03/2016
HORA: 09:30
LOCAL: DTA
TÍTULO: CORANTE NATURAL DE HIBISCO: OBTENÇÃO E ESTUDO DE ESTABILIDADE
PALAVRAS-CHAVES: Antocianinas, Hibisco, corante natural
PÁGINAS: 48
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
SUBÁREA: Ciência de Alimentos
ESPECIALIDADE: Química, Física, Fisico-Química e Bioquímica dos Alim. e das Mat-Primas Alimentares
RESUMO:

A busca crescente por produtos naturais vem exigindo da indústria alimentícia e substituição do uso de pigmentos sintéticos pelos pigmentos advindos de fontes naturais. As antocianinas reúnem tanto uma boa alternativa para substituição de corantes de cor vermelha, quanto o fato de ter grande capacidade antioxidante, pois pertencem ao grupo dos flavanóides, importantes substâncias polifenólicas que atuam na prevenção de doenças cardiovasculares e neurológicas. As antocianinas estão distribuídas na natureza em vários vegetais, como flores, frutas e verduras. Como são hidrossolúveis, a adição desses pigmentos é possível em sistemas aquosos. Antocianinas são muito sensíveis a estímulos ambientais, que podem comprometer a sua biodisponibilidade, como aumento de pH, e existência de luz ou calor. O hibisco (Hibiscussabdariffa), também conhecido como Reselle ou Vinagreira, é largamente usado pelo mundo na culinária, principalmente em bebidas, como por exemplo, o chá de hibisco. Por possuir um grande teor de antocianinas, especificamente em seu cálice, apresenta-se como fonte para extração dos pigmentos naturais. Além disso, por caracterizar-se como flor, o hibisco tem em seu cálice antocianinas mais estáveis, devido ao processo de copigmentação com o grupo acil, resultando em antocianinas aciladas. A finalidade do trabalho será a verificação da melhor forma de uso da matéria-prima, bem como bem como a submissão a sistemas de solventes para avaliar a melhor forma de extração de antocianinas. Os extratos obtidos passarão por quantificação de antocianinas e caracterização espectrofométrica, colorimétrica e fisico-química. Posteriormente o extrato antociânico será purificado e então submetido a teste de avaliação de estabilidade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1548928 - PATRICIA BELTRAO LESSA CONSTANT
Interno - 1683778 - ELMA REGINA SILVA DE ANDRADE WARTHA
Externo ao Programa - 426680 - GABRIEL FRANCISCO DA SILVA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15368-99f189d34b