UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: DANIEL TENÓRIO DA SILVA
19/02/2016 09:57


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DANIEL TENÓRIO DA SILVA
DATA: 26/02/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório da ADUFS
TÍTULO: Efeito de uma Ferramenta de Paciente Virtual nas Competências Gerontogeriátricas de Estudantes de Farmácia
PALAVRAS-CHAVES: Gerontogeriatria, Farmácia, Paciente Virtual
PÁGINAS: 107
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

O processo de transição demográfica acompanhado da mudança no perfil epidemiológico podem impactar profundamente todas as áreas de atuação dos profissionais de saúde, inclusive os farmacêuticos. Nesse sentido, torna-se evidente a necessidade do desenvolvimento de competências (conhecimentos, habilidades e atitudes) na formação acadêmica, que permitam a esses profissionais lidarem com as especificidades da população idosa. O objetivo do estudo foi avaliar o impacto do uso de uma ferramenta de paciente virtual nas competências gerontogeriátricas de estudantes de farmácia. O estudo foi desenvolvido em três etapas: na primeira etapa foi feita uma pesquisa documental das ementas das disciplinas do Cursos de Farmácia das Instituições Federais de Ensino Superior (IFES), com o intuito de caracterizar os temas gerontogeriátricos recebidos pelos estudantes; na segunda etapa foi realizada uma revisão sistemática da literatura com o objetivo de levantar métodos e técnicas de ensino em gerontogeriatria nas Faculdades de Farmácia ao redor do mundo; e na terceira etapa foi realizado um estudo longitudinal com avaliação antes-depois, para mensurar o impacto do uso de uma ferramenta de paciente virtual nas competências gerontogeriátricas de estudantes de farmácia em IFES no nordeste do Brasil. Dentre os 40 Cursos de Farmácia das IFES 26 tinham suas matrizes curriculares com as ementas para acesso nos sítios eletrônicos institucionais e apenas nove Cursos apresentavam em seus ementários conteúdos gerontogeriátricos. Dentre as categorias predefinidas os conteúdos nas ementas eram predominantemente relacionados aos aspectos biológicos do envelhecimento. Na revisão sistemática dos 897 arquivos analisados, 14 cumpriram todos os critérios de inclusão estabelecidos, todos realizados nos Estados Unidos. As estratégias de ensino que permitem o contato com pacientes idosos em cenários de atenção à saúde foram predominantes, bem como o uso de atividades de simulação que identificam desafios associados ao uso de medicamentos para idosos. Um estudo utilizou uma rede social de internet como ferramenta de ensino gerontogeriátrico em uma disciplina eletiva de farmacoterapia e nenhum estudo utilizou ferramenta de paciente virtual. No estudo longitudinal, entre os 84 estudantes participantes a média de idade foi de 24(±2,0) anos e 68,7% eram do gênero feminino. Entre os participantes, 93,7% afirmaram que não tiveram contato com temas gerontogeriátricos nas ementas das disciplinas cursadas até o momento da coleta de dados e 89,5% concordaram que mais conteúdo teórico-prático de geriatria e gerontologia deveria ser incluído na matriz curricular do curso de Farmácia. Após a participação no programa de ensino as competências dos estudantes em relação aos idosos teve modificação significativa, conforme os dois instrumentos. Em relação às atitudes, a média da Escala de Atitudes em Geriatria antes da utilização do paciente virtual foi 3,70(±0,8) e depois 3,85(±0,5) (p< 0,05). Em relação ao conhecimento, de acordo com o Quiz de Fatos sobre o Envelhecimento, a taxa média de conhecimento dos estudantes em relação aos temas gerontogeriátricos foi 46,2%(±10,3) antes da utilização do paciente virtual e 50,8%(±10,3) depois (p< 0,05). A escassez de temas gerontogeriátricos nos Cursos de Farmácia confirma a necessidade da criação de estratégias de ensino sobre o tema. Apesar da literatura apontar como principal estratégia o uso de paciente reais, os modelos de Cursos nacionais nem sempre permitem o contato frequente com paciente reais. Desse modo, o uso do paciente virtual em disciplinas que exijam o desenvolvimento do raciocínio clínico pelos estudantes de Farmácia, pode complementar as ferramentas de ensino tradicionais e preparar os futuros profissionais para o cuidado aos pacientes reais.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1315121 - DIVALDO PEREIRA DE LYRA JUNIOR
Interno - 3571566 - JULLYANA DE SOUZA SIQUEIRA QUINTANS
Externo à Instituição - ALFREDO DIAS DE OLIVEIRA FILHO
Externo à Instituição - Noemia Urruth Leão Tavares
Externo à Instituição - TATIANE CRISTINA MARQUES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12692-c69972fb69