UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 13 de Junho de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ROMY GLEYSE CHAGAS BARROS
18/02/2016 11:23


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROMY GLEYSE CHAGAS BARROS
DATA: 02/03/2016
HORA: 15:00
LOCAL: Sala de aula do Laboratório de Flavor - LAF
TÍTULO: Produção de compostos bioativos por microrganismos isolados de frutas tropicais.
PALAVRAS-CHAVES: Microrganismos endofíticos, Fermentação submersa, Frutas exóticas, Compostos bioativos
PÁGINAS: 55
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
RESUMO:

Microrganismos endofíticos são organismos vivos que colonizam os espaços intercelulares dos tecidos vegetais sem causar-lhes quaisquer danos visíveis. Normalmente, podem estar situados nas raízes, caules, folhas, sementes, frutos e nódulos de leguminosas. Sua importância tem sido documentada devido à expressão de sua capacidade de produção de compostos bioativos de interesse com atividade anti-inflamatória, anticancerígena, antialérgica. A fermentação é uma tecnologia antiga que tem sido usada com a finalidade de conservação dos alimentos, suas qualidades nutricionais e sensoriais. As técnicas mais promissoras referentes a esse tipo de processamento são as fermentações submersa e em estado sólido. Ambas, se diferem principalmente em relação ao conteúdo de água livre presente no meio. O achachairu (Garcinia humilis), o araçá-boi (Eugenia stipitata) e a bacaba (Oenocarpus bacaba) são frutas tropicais exóticas produzidas no Brasil e que possuem poucos estudos científicos relacionados a sua caracterização e possibilidade de utilização de seus resíduos. Dessa forma, o aproveitamento dos resíduos dessas frutas torna-se uma estratégia viável para a bioconversão de seus substratos em compostos bioativos. O presente trabalho propõe o isolamento de microrganismos endofíticos das frutas citadas com a finalidade de obtenção de compostos bioativos através do processo de fermentação submersa. Para o isolamento dos microrganismos serão estabelecidos dois distintos protocolos: a técnica de inoculação por espalhamento superficial em placas de petri e a fermentação alcóolica dos frutos. As fermentações serão divididas em três diferentes etapas, com o objetivo de otimização das condições do processo para determinação daquelas consideradas ótimas para produção de compostos bioativos. Na primeira etapa (Fermentação I), deverão ser avaliadas a influencia das variáveis pH e temperatura; na Fermentação II serão averiguados o influxo de diferentes substratos fontes de nitrogênio, magnésio e fosfato; por fim, uma fermentação em grande escala com auxilio de biorreator será desenvolvida (Fermentação III). Serão realizadas caracterizações físico-químicas dos resíduos e determinação de compostos bioativos tanto dos resíduos como de seus fermentados.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 6330812 - NARENDRA NARAIN
Interno - 2505573 - LUCIANA CRISTINA LINS DE AQUINO SANTANA
Externo à Instituição - FRANCINE FERREIRA PADILHA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15368-99f189d34b