UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 23 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: ANDREZA NOVAIS DOS SANTOS
17/02/2016 09:17


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANDREZA NOVAIS DOS SANTOS
DATA: 29/02/2016
HORA: 08:00
LOCAL: Sala Téorica do Departamento de Odontologia, Campus da Saúde UFS
TÍTULO: EFEITO DO MOMENTO DA FOTOATIVAÇÃO NAS PROPRIEDADES DE CIMENTOS RESINOSOS EXPERIMENTAIS DE DUPLA ATIVAÇÃO COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE FOTOINICIADORES E INICIADORES QUÍMICOS
PALAVRAS-CHAVES: Cimentos de resina; Materiais dentários; Polimerização
PÁGINAS: 37
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
SUBÁREA: Clínica Odontológica
RESUMO:

A redução da tensão de contração dos cimentos resinosos, associada à manutenção de suas propriedades mecânicas, é essencial para a longevidade das cimentações adesivas. Tem sido demonstrado que a fotoativação tardia dos cimentos resinosos de dupla ativação reduz as tensões de contração. Entretanto, a influência desta postergação da fotoativação sobre as propriedades mecânicas mostrou ser material dependente. Todavia, a influência dos componentes dos cimentos nas suas propriedades, quando fotoativados tardiamente ainda é pouco conhecida. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos da concentração de iniciadores de reação de polimerização, nas propriedades de cimentos resinosos de dupla ativação fotoativados imediatamente ou após 5 minutos de sua manipulação. Cimentos resinosos experimentais foram obtidos a partir de uma matriz monomérica BisGMA/TEGDMA (1:3 em massa), com diferentes concentrações de iniciador químico na pasta catalisadora (2,5 ou 3% de peróxido de benzoíla) e co-iniciador na pasta base (2,5 ou 3% de dimetil-p-toluidina). Dois protocolos de fotoativação foram avaliados, o primeiro com um fotopolimerizador e o segundo com três. Em ambas situações, a fotoativação ocorreu em dois momentos, imediata ou após 5 minutos. Corpos-de-prova em forma de barra (25 x 2 x 2 mm) foram confeccionados, sendo a fotoativação realizada após a inserção dos cimentos na matriz (n = 7). Ensaio de flexão de três pontos foi realizado e os valores de resistência flexural e módulo de elasticidade foram mensurados. Os corpos-de-prova fraturados foram embutidos (n = 5) em cilindros de resina acrílica, polidos e realizada a leitura de dureza Vickers. Os dados foram analisados por ANOVA de duas vias. Todas as comparações múltiplas foram realizadas com o teste de Tukey (α = 0,05).

Os resultados da resistência à flexão mostraram um padrão dependente com o catalisador de cada cimento. Ambos os grupos com catalisador 2 não mostraram diferença estatística entre a pasta base 1 ou 2. Cimentos com catalisador 1, e polimerizados com 3-pontos mostraram maiores valores de resistência à flexão, quando foi usada a fotoativação tardia em ambas as pastas. Comparando-se a influência do número de fotopolimerizadores nos 4 cimentos, a resistência a flexão não mostrou diferença entre os quatro grupos ativados imediatamente e tardio, quando se usa 3 pontos. Resultado semelhante, foi encontrado com um ponto de luz de cura tardia. Diferentemente, 1 ponto de luz com ativação imediata, apresenta o valor mais elevado para b1c2, e o menor para b2c1. Independentemente do catalisador (C1 ou C2) e base (B1 ou B2) os maiores valores para o módulo de elasticidade foram obtidos na fotoativação tardia com 3 pontos. Avaliação da influência do momento de ativação sobre os 3-pontos, observou-se que a utilização de C1 mostrou maior amplitude de dados, mostrando valores mais baixos para b1 e o mais altos para B2, ambos na ativação imediata. Na técnica com 3 pontos, usando fotoativação tardia, observou-se que não há diferença entre os módulos de elasticidade dos grupos. Mesma reação foi encontrada para ativação por 1 ponto, imediata e tardia. Como conclusão, observou-se a interação entre as diferentes concentrações de iniciadores, o momento e o número de pontos de fotoativação, afetam as propriedades mecânicas dos cimentos dos cimentos resinosos de dupla ativação experimentais.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 004.311.705-84 - LUIZ ALVES DE OLIVEIRA NETO
Externo à Instituição - ANTONIO ALVES DE ALMEIDA JUNIOR
Externo à Instituição - LUANA MENEZES DE MENDONCA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5