UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 31 de Janeiro de 2023

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de DEFESA: CARLA TACIANE FIGUEIRÊDO
16/02/2016 16:59


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CARLA TACIANE FIGUEIRÊDO
DATA: 26/02/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente
TÍTULO: CIÊNCIAS AMBIENTAIS NO BRASIL: história, métodos e processos
PALAVRAS-CHAVES: Ciências Ambientais, Institucionalização, Conhecimento, Gestão
PÁGINAS: 140
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A caracterização teórico-metodológica das ciências ambientais como campo de conhecimento no Brasil, sua breve história política e epistemológica, constitui o objeto de estudo dessa pesquisa. Descreve e analisa os contextos sociohistóricos contemporâneos da estruturação das ciências ambientais como campo científico no Brasil: história, métodos, objetos e processos de consolidação como área de conhecimento. Para isso, como ponto de partida considera os cenários latino-americanos e europeus, em particular, a análise específica da política ambiental portuguesa em torno das questões ambientais, sua institucionalização e produção de conhecimento. A análise da institucionalização da área no Brasil situa-se em torno de documentos oficiais, publicações periódicas indexadas e pesquisas dentro da pós-graduação (dissertações e teses). O estudo foi organizado em dois eixos de análise: 1) contexto nacional de institucionalização e as influências da internacionalização das questões ambientais no caso brasileiro; 2) tendências e desafios da produção de conhecimentos em ciências ambientais no Brasil após a migração dos Programas de Pós-graduação ligados às questões ambientais para a nova área de conhecimento (Ciências Ambientais) pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES, em 2011. O Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente da Universidade Federal de Sergipe (PRODEMA) foi analisado dentro dos eixos de análise supracitados nos seguintes períodos: Eixo de análise I (2003-2012) e Eixo de análise II (2012-2015). A metodologia utilizada na pesquisa foi de caráter descritivo-interpretativo de base bibliográfica com foco no grau de relevância de autores-referências e no grau de inovação metodológica interdisciplinar obtida no desenvolvimento das pesquisas. Os resultados obtidos, quanto o primeiro eixo de análise, demonstram que a institucionalização e as influências da internacionalização das questões ambientais, no caso brasileiro, direcionam-se aos problemas da interdisciplinaridade e da multidisciplinaridade na produção de conhecimento, não obtendo resultados satisfatório no domínio teórico da interdisciplinaridade dentro do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente da Universidade Federal de Sergipe; quanto às tendências e desafios da produção de conhecimentos em meio ambiente no Brasil após a migração dos Programas de Pós-graduação ligados às questões ambientais para a área de ciências ambientais, inexiste a inovação metodológica ligado à interdisciplinaridade. Há justaposição e não convergência entre métodos de diferentes áreas do conhecimento na produção do conhecimento analisada. Recomenda-se: a) formalização de convergência e de transferência metodológica entre áreas distintas de conhecimento com vias à interdisciplinaridade metodológica; b) construção de projetos de pesquisa entre diferentes instituições e grupos de pesquisa a partir da definição de problemática comum de pesquisa; c) convergência de publicações científicas de professores e estudantes ao escopo técnico e político da área de conhecimento específica após a migração do Programa às Ciências Ambientais; d) recorrência à avaliação contínua quanto à gestão da informação e do conhecimento produzidos, com focos no domínio teórico-metodológico da interdisciplinaridade durante a formação de pesquisadores em meio ambiente e desenvolvimento, uma vez que auxilia na organização e sistematização de informações científicas e tecnológicas para o desenvolvimento da ciência brasileira, do país e das ciências ambientais.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 388007 - ADAUTO DE SOUZA RIBEIRO
Presidente - 2625648 - ANTONIO VITAL MENEZES DE SOUZA
Externo ao Programa - 1575568 - JOSE MARIO ALELUIA OLIVEIRA
Externo à Instituição - MARCUS AURELIUS DE OLIVEIRA VASCONCELOS
Interno - 2222763 - MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
Externo à Instituição - MARINOÉ GONZAGA DA SILVA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2023 - UFRN v3.5.16 -r18285-05ee143cb2