UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: KYZZES BARRETO ARAUJO
12/02/2016 10:02


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: KYZZES BARRETO ARAUJO
DATA: 25/02/2016
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de Video Conferência da RENORBIO-UFS
TÍTULO: POTENCIAL BIOTECNOLÓGICO DA FARINHA DE CASCA DE MANDIOCA PARA A OBTENÇÃO DO ACETATO DE ETILA UTILIZANDO O MICRORGANISMO Ceratocystis fimbriata ATRAVÉS DA FERMENTAÇÃO EM ESTADO SÓLIDO
PALAVRAS-CHAVES: Acetato de etila; Fermentação; Ceratocystis fimbriata
PÁGINAS: 130
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Química
SUBÁREA: Tecnologia Química
ESPECIALIDADE: Alimentos
RESUMO:

RESUMO

Uma das formas promissoras para o aproveitamento de resíduos é através do desenvolvimento de processos biotecnológicos para produção de um grande número de metabólitos de interesse industrial, como por exemplo, a produção de bioaromas. O fungo Ceratocystis fimbriata tem potencial para síntese de ésteres produzindo variedades de compostos de aromas, como o acetato de etila responsável por umas diversidades de aromas de frutas. O objetivo deste trabalho foi aproveitar e avaliar o potencial biotecnológico da casca de mandioca, resíduo agroindustrial mais produzido no estado de Sergipe para produção de acetato de etila através da fermentação em estado sólido. Todo o procedimento realizado obedeceu a um planejamento experimental de onze experimentos que corresponde um planejamento experimental 22 ensaios acrescidos de 4 pontos axiais e 3 repetições no ponto central, tendo como variáveis a massa da amostra e o teor de umidade. O composto volátil acetato de etila foi quantificado através da análise de headspace no cromatógrafo a gás e detectou que o melhor experimento para produção do acetato de etila foi (91,92 µmol.L-1) com 50% de umidade e 14.23 g de massa seca durante 48 horas de fermentação. A partir do melhor resultado foi realizado outra fermentação para separação do aroma na biomassa utilizando NaCl numa concentração de 5%, 10%, 15%, 20%, 25%, 30% e 35% com o intuito de avaliar qual a concentração salina que facilitou a liberação do composto volátil do interior da biomassa. E observou que a concentração de NaCl de 30% obteve melhor valor (3303.60 μmol.L-1). Com este resultado foi realizado um aumento de escala para verificar influência da produção do composto acetato de etila numa maior área superficial onde os experimentos foram relaizados em erlenmeyer de 1000 ml (10%, 20%, 30% taxa de inóculo) e 2000 ml (50% taxa de inoculo). A análise cromatográfica detectou que a solução salina de 30% recuperou melhor o acetato de etila nos erlenmeyer de 1000 ml com 30% de inoculo (19, 38 μmol. L-1).

 

MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2178474 - ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
Interno - 2335200 - CHARLES DOS SANTOS ESTEVAM
Externo ao Programa - 426680 - GABRIEL FRANCISCO DA SILVA
Externo ao Programa - 2632257 - JACQUELINE REGO DA SILVA RODRIGUES
Externo ao Programa - 2581604 - CRISTINA FERRAZ SILVA
Externo ao Programa - 2481282 - ALESSANDRA ALMEIDA CASTRO PAGANI
Externo à Instituição - ANITA MARIA DE LIMA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307