UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 24 de Junho de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: CAMILA MATOS
12/02/2016 13:17


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CAMILA MATOS
DATA: 26/02/2016
HORA: 10:00
LOCAL: Sala do NUPEG
TÍTULO: Avaliação de Risco Ecológico como ferramenta de avaliação da qualidade ambiental do rio Sergipe
PALAVRAS-CHAVES: diagnóstico ambiental, bacia hidrográfica, ecotoxicologia
PÁGINAS: 41
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

Os impactos causados pelas diversas atividades antrópicas têm modificado profundamente os ecossistemas aquáticos continentais. A intensa urbanização e o crescimento populacional ampliam a demanda pelos usos múltiplos da água, e esta pressão sobre os recursos hídricos acaba afetando a quantidade e a qualidade da água, a biota aquática, a saúde pública e o desenvolvimento socioeconômico. Essa situação torna-se ainda mais grave em regiões vulneráveis, como o semiárido brasileiro, que sofre cenários de escassez de água e por isso enfrenta diversos obstáculos na gestão dos recursos hídricos. A bacia hidrográfica do rio Sergipe tem 58% da sua área contida na região semiárida, a qual tem como importante característica a intermitência dos rios. Entre eles está o próprio rio Sergipe, curso d’água fundamental para o estado sergipano, tanto do ponto de vista cultural quanto socioeconômico. Apesar disso, poucos estudos considerando o eixo cabeceira-foz foram desenvolvidos neste rio e, consequentemente, são raras as informações referentes às condições limnológicas e ecotoxicológicas deste ecossistema. A fim de preencher esta lacuna, o objetivo geral deste trabalho é avaliar o impacto ambiental do rio Sergipe por meio de análises físicas, químicas, bióticas e toxicológicas para posterior aplicação de uma Análise de Risco Ecológico (ARE). A ARE é uma ferramenta matemática cujo propósito é estimar o risco de contaminação para o sistema, e para aplicar esta metodologia serão utilizados dados primários e secundários. Para obter estes dados, foram realizadas coletas em dois períodos hidrológicos distintos (seca e chuva), em 7 estações de coleta ao longo do rio Sergipe, onde foram avaliadas as variáveis físicas e químicas da água e sedimento, além da amostragem das comunidades bentônica e zooplanctônica. A partir desse trabalho, a ARE poderá subsidiar programas de gerenciamento de locais poluídos, tal como o rio Sergipe, visto que em outros países essa já é uma importante ferramenta de avaliação de impacto ambiental.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2081991 - ANDREA NOVELLI
Interno - 1857524 - JEAMYLLE NILIN GONCALVES
Interno - 1687626 - MARCELO FULGENCIO GUEDES DE BRITO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9