UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Junho de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: YARA RAFAELLA RIBEIRO SANTOS
04/02/2016 17:12


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: YARA RAFAELLA RIBEIRO SANTOS
DATA: 25/02/2016
HORA: 14:30
LOCAL: Sala de Aula do Laboratório de Flavor/ UFS
TÍTULO: Otimização da extração e obtenção de microcápsulas de compostos bioativos da polpa e resíduo agroindustrial de acerola.
PALAVRAS-CHAVES: resíduo de acerola, otimização, microencapsulação, compostos bioativos, atividade antioxidante.
PÁGINAS: 199
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
RESUMO:

A acerola (Malpighia emarginata L.) é um fruto bastante apreciado e cultivado no Brasil, principalmente no Nordeste. Este fruto apresenta altos teores de compostos bioativos, que contribui para o poder antioxidante da fruta. O processamento de acerola produz um resíduo vermelho intenso, o qual é geralmente descartado. Esses resíduos possuem em sua composição maiores concentrações de compostos bioativos, quando comparados com a polpa. O aproveitamento do resíduo poderia aumentar o valor comercial da acerola e a rentabilidade de seu processamento. Uma das formas de melhor aplicação é a extração e microencapsulamento, além de garantir maior estabilidade e funcionalidade ao produto. Para melhor extração dos compostos bioativos da polpa e resíduo da acerola, fazem-se necessários diversos estudos e pesquisas de otimização. Nesse contexto, este trabalho teve como objetivo produzir um extrato microencapsulado (por liofilização e atomização) a partir da polpa e resíduo de acerola, visando maximizar a quantidade de compostos bioativos extraídos. Para determinação das melhores condições foram realizadas análises de antocianinas, carotenoides, ácido ascórbico, fenólicos, flavonoides e atividade antioxidante, alem de testes de estabilidade (higroscopicidade, solubilidade, umidade e atividade de água) e microestrutura. Para isso foram feitos extrações preliminares a fim de determinar o melhor método, utilizando como matéria-prima o resíduo de acerola. As condições de extração foram otimizadas variando a concentração de etanol (0 a 99,5%), proporção solvente:resíduo (1:1 a 10:1 v/m) e tempo de extração (10 a 60 minutos), utilizando-se um delineamento fatorial 23 (DCCR) com 3 pontos centrais, totalizando 17 ensaios. As condições otimizadas foram determinadas pela função Desirability disponivel no software Statistica 12.0. Então, foi feita a extração para a polpa e resíduo utilizando as condições otimizadas, e microencapsulação dos extratos por liofilização e atomização. A composição centesimal revelou que o resíduo da acerola apresentou maiores teores de antocianinas e carotenoides, exceto ácido ascórbico. Os extratos concentrados obtidos por sonicação apresentaram maiores concentrações dos compostos bioativos, sendo este o método escolhido para otimização do processo de extração. A concentração de etanol de 46,487%, a proporção solvente: resíduo de 8,655:1 (v:m) e o tempo de extração de 49,295 minutos foram determinadas como condições otimizadas. A extração não foi eficiente para carotenoides, porem foi satisfatória para compostos fenólicos. O extrato de resíduo de acerola obtido apresentou maiores concentrações de compostos bioativos, porém menor capacidade antioxidante comprovada pelos métodos ABTS, DPPH, FRAP e ORAC. O modelo apresentou boa correlação entre os resultados previstos e observados, de 16,92 e 16,58 mg/100g para antocianinas, 3,35 e 3,97 µg/g para carotenoides, 407,94 e 488,76 mg/100g para ácido ascórbico, 1129,79 e 1067,92 mg/100g para compostos fenólicos e 569,79 e 559,26 mg/100g para flavonoides. Extratos submetidos à liofilização apresentaram maior eficiência para encapsular carotenoides (52,39%), ácido ascórbico (46,67%) e compostos fenólicos (69,75%). Alem disso, os extratos liofilizados apresentaram em média maior rendimento (9,44%), menor higroscopicidade (8,42%) e maior umidade (6,13%), quando comparados com os extratos atomizados. As partículas secas por atomização apresentaram forma esférica, enquanto que os pós liofilizados mostraram estruturas irregulares.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2481282 - ALESSANDRA ALMEIDA CASTRO PAGANI
Presidente - 6330812 - NARENDRA NARAIN
Externo à Instituição - SUYARE ARAÚJO RAMALHO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9