UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Junho de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: LUANA MARINA DE CASTRO MENDONÇA
02/02/2016 11:25


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUANA MARINA DE CASTRO MENDONÇA
DATA: 25/02/2016
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório do Pólo de Gestão da UFS
TÍTULO: COMPOSIÇÃO E DISTRIBUIÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DOS CRUSTACEA COMPONENTES DA MEGAFAUNA BÊNTICA NA PLATAFORMA CONTINENTAL DE SERGIPE
PALAVRAS-CHAVES: Megabentos; Carcinofauna; Dinâmica; Novos registros; Variação espaço-temporal
PÁGINAS: 85
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

Os crustáceos são citados como grupo dominante em quase todos os ambientes de plataforma ao longo do litoral brasileiro, sendo também o grupo com maior volume de trabalhos realizados. No entanto, algumas plataformas brasileiras ainda têm sua carcinofauna precariamente desconhecida, como é o caso de Sergipe. Nesse sentido, esse trabalho visa contribuir para o conhecimento dos Crustacea, componentes da megafauna bêntica, da plataforma continental de Sergipe, bem como entender como as populações que compõe essa comunidade se distribuem espacial e temporalmente ao longo da plataforma. Os crustáceos foram coletados a partir de arrastos duplos com rede de arrasto pesqueiro em quatro campanhas amostrais entre 1999 e 2000, em 18 estações entre 36°32'W 10°36'S e 37°05’W 11°21’S distribuídas em seis transectos, nas isóbatas de 10, 20 e 30 m. Também foram coletados os parâmetros ambientais da água e do sedimento para cada estação. Os organismos foram identificados até o nível de espécie, utilizando literatura taxonômica específica, e analisados em termos de riqueza, abundância e biomassa e, a comunidade foi analisada a partir dos índices de diversidade, equitatividade, frequência de ocorrência e índice de importância relativa. A fauna de Crustacea esteve representada por 62749 indivíduos distribuídos em 71 táxons que somaram 199.97 kg de biomassa úmida e uma densidade de 77.81 ind./km². Os organismos coletados são representantes de 2 ordens, 4 infraordens, 25 famílias, 46 gêneros e 64 espécies. Dos grupos principais de Crustacea, Brachyura apresentou maior número de táxons com 39, seguido de Caridea com 12, Dendrobranchiata com 9, Anomura com 7, Stomatopoda com 2 e Achelata com 1. A comunidade estudada foi abundante e com uma riqueza considerável, mas a diversidade e equitatividade da fauna foram baixas, evidenciando a dominância das espécies X. kroyeri, N. schmitti, L. schmitti, F. schmitti e C. ornatus para a fauna de Crustacea da plataforma continental. A fauna variou em função do tempo e do espaço e os principais parâmetros abióticos que explicaram essas variações foram a profundidade, a temperatura e o tipo de fundo, principalmente os sedimentos mais grossos com altos teores de areia e cascalho. Dentre os Crustacea identificados, foram registrados pela primeira vez para a plataforma continental de Sergipe sete espécies, sendo 3 Brachyura (Allactaea lithostrota, Ericerodes minusculus e Podochela riisei), 3 Caridea (Alpheus armillatus, A. cf. packardii e A. intrisecus) e 1 Stomatopoda (Squilla brasiliensis).


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1775420 - GUSTAVO LUIS HIROSE
Externo ao Programa - 1777726 - ROBERTO SCHWARZ JUNIOR
Externo à Instituição - DOUGLAS FERNANDES RODRIGUES ALVES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9