UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 24 de Junho de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ISAAC TRINDADE SANTOS
02/02/2016 11:11


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ISAAC TRINDADE SANTOS
DATA: 29/02/2016
HORA: 15:30
LOCAL: A definir
TÍTULO: Diversidade beta taxonômica e funcional dos peixes de água doce do Brasil.
PALAVRAS-CHAVES: Otto Pfafstetter, turnover, nestedness, biogeografia, ictiofauna
PÁGINAS: 18
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

O sucesso na gestão e conservação de recursos naturais depende não somente da compreensão dos padrões de ocorrência e abundância das espécies. Estudos apontam a necessidade e eficiência de se incluir múltiplas facetas da biodiversidade nas tomadas de decisão e de se conservar os serviços ecossistêmicos. Medidas de diversidade taxonômica (DT: riqueza de espécies), funcional (DF: traços morfológicos, fisiológicos ou ecológicos de uma comunidade) e filogenética (DFL: relação evolutiva entre espécies) são fundamentais neste processo. A documentação das DT, DF e DFL em diferentes escalas de espaço e tempo revela como os padrões de biodiversidade são gerados e como podem ser afetados por ações naturais e antropogênicas. As variações de diversidade entre locais (div-α) e regiões (div-γ) são definidas como diversidade beta (div-β). Estas medidas têm sido amplamente utilizadas para se investigar os processos responsáveis pela formação e manutenção da biodiversidade. A div-β é resultado de processos ecológicos distintos podendo se apresentar pela substituição de espécies entre comunidades (turnover) ou pelo ‘aninhamento’ (nestedness), ou seja, algumas comunidades podem ser subconjuntos de outras mais ricas. Portanto, a div-β pode ser particionada nestes dois elementos e os padrões resultantes mostram como as comunidades se estruturam a nível local e regional. Atualmente o ecossistema mais ameaçado pela perda da biodiversidade são os ambientes de água doce. O Brasil apresenta uma das maiores redes hidrográficas de água doce do mundo e consequentemente uma grande biodiversidade nestes sistemas, possuindo também a maior riqueza de peixes dulcícolas, com 3.316 espécies. O objetivo central deste trabalho é estimar e comparar as contribuições proporcionais dos componentes turnover e nestedness da div-β taxonômica e funcional dos peixes de água doce do Brasil. Testaremos a hipótese de que para a região Neotropical diferentes comunidades de peixes entre bacias hidrográficas apresentam atributos funcionais distintos. Subsequentemente será avaliado se processos determinísticos ou estocásticos foram responsáveis pelos padrões observados. Serão utilizadas três escalas de observação, o primeiro e segundo nível de classificação Pfafstetter de bacias hidrográficas e também os estados brasileiros. Os traços funcionais a serem utilizados para se estimar div-β funcional estão relacionados com dados morfométricos, locomoção, índice trófico e ocupação na coluna d’água ou substrato. Estes dados serão complementados com o auxílio do banco de dados do FishBase e posteriormente será calculada a div-β funcional. Até a presente data foram compilados mais de 12.000 dados de ocorrência de peixes de água doce, contendo 2.538 espécies e cerca de 850 ecossistemas diferentes (rios, bacias, lagos, riachos) os quais foram especializados dentro das escalas estudadas, ocorrências por estado somam 2.057 espécies. As espécies mais bem distribuídas são Hoplias malabaricus, Hoplosternum littorale, Callichthys callichthys e Geophagus brasiliensis. Resultados parciais mostram altos níveis de turnover taxonômico nas três escalas de observação adotadas. Das 34 bacias (nível 2) analisadas e 27 estados, 20% e 28% das suas respectivas combinações apresentaram dissimilaridade total. O modelo nulo utilizado mostrou que a dissimilaridade entre as grandes bacias (nível 1) foi maior do que o esperado ao acaso.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1674021 - LEANDRO DE SOUSA SOUTO
Externo ao Programa - 2260274 - PABLO ARIEL MARTINEZ
Presidente - 2019114 - SIDNEY FEITOSA GOUVEIA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9