UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 17 de Setembro de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: THIAGO XAVIER CHAGAS
01/02/2016 10:06


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: THIAGO XAVIER CHAGAS
DATA: 24/02/2016
HORA: 14:30
LOCAL: Sala 2 do PPGAGRI
TÍTULO: Biodegradação de toco de Eucalyptus sp. pela ação de cupins xilófagos.
PALAVRAS-CHAVES: Termitidae, floresta de eucalipto, Nasutitermitinae, resíduo florestal
PÁGINAS: 41
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Recursos Florestais e Engenharia Florestal
RESUMO:

As plantações de eucalipto podem ser gerenciadas sob o regime de corte e reforma ou talhadia, sendo que após a colheita há o acúmulo de restos da cultura de difícil degradação, incluindo o toco. Este resíduo florestal pode representar um micro-habitat e recurso alimentar abundante para cupins. A identificação das espécies de cupins que ocorrem em tocos pode ser uma alternativa viável para acelerar o seu processo de degradação, auxiliando na sua remoção parcial ou total. O objetivo do estudo foi identificar espécies de cupins em tocos de Eucalyptus sp. e avaliar a sua biodegradação em áreas com dois e quatro anos de idade após o corte. O estudo foi conduzido em duas áreas, com idades pós-corte de dois e quatro anos, localizadas no município de Entre Rios, Bahia, Brasil. Os tocos foram fragmentados, com auxílio de um instrumento cortante, e os cupins coletados e depositados em tubo Falcon 15 ml, contendo álcool 80%. Os cupins foram identificados com auxílio de chave taxonômica e comparação com exemplares da coleção base do Laboratório de Entomologia Florestal, da Universidade Federal de Sergipe, e do Museu de Zoologia, da Universidade de São Paulo. Fez-se a medição do diâmetro e altura dos tocos, antes e após a sua fragmentação. Após esta medição, foi calculado o volume inicial (Vo) e o volume final (Vf) dos tocos, para determinar a sua biodegradação. Para avaliar a biodegradação de tocos entre as idades pós-corte, os dados foram analisados pelo programa SAS 9.0, usando para comparação a ANAVA. Foram coletadas sete espécies de cupins, pertencentes a quatro gêneros, da família Termitidae. Nasutitermes corniger, N. kemneri, e Amitermes amifer foram dominantes. Na análise de biodegradação dos tocos houve diferença significativa entre as idades de corte de dois e quatro anos. É possível encontrar espécies de cupins em tocos de Eucalyptus sp., sejam forragendo isoladas ou associadas com outras espécies, sendo eles capazes de biodegradar tocos de Eucalyptus sp. nas áreas com idade de dois e quatro anos pós-corte. Há uma tendência de aumento na biodegradação dos tocos em área com maior idade pós-corte, como constatado na área com quatros anos de idade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1352277 - GENESIO TAMARA RIBEIRO
Interno - 832.656.005-72 - JULIO CESAR MELO PODEROSO
Externo à Instituição - ROZIMAR DE CAMPOS PEREIRA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r16088-62c448d53e