UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 26 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: SIMONIZE CUNHA BARRETO DE MENDONÇA
23/12/2015 09:07


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SIMONIZE CUNHA BARRETO DE MENDONÇA
DATA: 26/01/2016
HORA: 13:00
LOCAL: Sala RUTE CCBS
TÍTULO: CONSTRUÇÃO DE UM INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DO AUTOCUIDADO DOS PACIENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 2
PALAVRAS-CHAVES: Palavras-chave: autocuidado, diabetes mellitus tipo 2, escalas, psicometria, validade dos testes.
PÁGINAS: 178
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
SUBÁREA: Enfermagem de Saúde Pública
RESUMO:

Trata-se de um estudo de desenvolvimento metodológico com abordagem psicométrica que tem por objetivo construir um instrumento de avaliação do autocuidado dos pacientes com diabetes mellitus tipo 2 (DM2). O percurso metodológico norteou-se nos procedimentos teóricos para elaboração de instrumento psicométrico e fundamentou-se no modelo teórico do autocuidado de Dorothea Orem. Os procedimentos teóricos compreenderam a definição do construto “autocuidado de pacientes com DM2”, o qual delineou-se a partir do referencial teórico adotado, da literatura pertinente e de estudo qualitativo, com a técnica de grupo focal, utilizando a análise de conteúdo. Foram formados três grupos focais distintos, um composto por oito profissionais de saúde com experiência no manejo de pacientes com DM2 e os outros dois compostos por 26 pacientes com DM cadastrados em um programa educativo de um serviço ambulatorial de referência do Estado de Sergipe. Esse estudo permitiu descrever os significados atribuídos pelos profissionais e pacientes aos seis requisitos de autocuidado no desvio da saúde de Orem, definidos como as dimensões teóricas do instrumento, a saber: buscar e garantir assistência multiprofissional apropriada (responsabilização mútua, acessibilidade, fatores condicionantes básicos); conhecer e considerar a doença e suas complicações (aspectos relacionados à doença); aderir ao tratamento (tratamento medicamentoso e não medicamentoso); conhecer e considerar os desconfortos do tratamento (efeitos colaterais e desconfortos psicoemocionais); aceitar a doença (humanização terapêutica, reconhecimento da necessidade de controlar a doença, valorização da equipe de saúde e dos resultados do tratamento) e aprender a viver com os efeitos da doença (valorização do estilo de vida e autoestima). O instrumento foi submetido à análise semântica e conceitual por um painel de sete juízes e, na sequência a um pré-teste com 14 pacientes com diabetes, resultando em um instrumento com 131 itens. Na validação de conteúdo, os juízes avaliaram os itens quanto aos domínios a que pertenciam, a permanência no instrumento e aos critérios psicométricos que possuiam, sendo calculado o Índice de Validade de Conteúdo para cada um dos itens (IVCi) e a média de IVCi (IVCs) para o conjunto de itens de cada domínio. A validade de conteúdo de uma escala foi considerada excelente quando atingiu um IVCi ≥ 0,75 e uma média de IVCs ≥ 0,90. Quanto aos domínios, 129 itens apresentaram IVCi ≥ 0,78 e todos os domínios exibiram IVCs ≥ 0,90. Para permanência no instrumento, todos os itens apresentaram IVCi ≥ 0,78 e o conjunto de itens de cada domínio apresentou IVCs ≥ 0,90, a saber domínio A (0,99), B (1,00), C (0,98), D (1,00), E (0,97) e F (0,96). No julgamento dos critérios psicométricos (objetividade, clareza, precisão, tipicidade, simplicidade, relevância, modalidade e credibilidade), de maneira geral, os itens apresentaram uma avaliação satisfatória, e foram reformulados conforme as sugestões do painel de juízes. Foi desenvolvido e validado o conteúdo do Instrumento de Avaliação do Autocuidado dos pacientes com DM2 (INAAP-DM2), que consiste em uma escala tipo Likert de cinco pontos e permite mensurar em cada dimensão os requisitos de autocuidado, classificando-os em três níveis: Totalmente Compensatório, Parcialmente Compensatório e Apoio-Educação. O desenvolvimento de uma tecnologia, que considere a multidimensionalidade dessa enfermidade, poderá instrumentalizar equipes multiprofissionais na utilização de um modelo de atenção integral aos pacientes com DM2, com base nos pressupostos teóricos de Orem para os requisitos de autocuidado.

Palavras-chave: autocuidado, diabetes mellitus tipo 2, escalas, psicometria, validade dos testes.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2178493 - MARIA CLAUDIA TAVARES DE MATTOS
Interno - 1541701 - LIUDMILA MIYAR OTERO
Interno - 2102691 - CRISTIANE FRANCA LISBOA GOIS
Externo ao Programa - 1241436 - JOSEILZE SANTOS DE ANDRADE
Externo à Instituição - NAMIE OKINO SAWADA
Externo à Instituição - MARIA LUCIA ZANETTI

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5