UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 20 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: GABRIELA MENEZES GONÇALVES DE BRITO
22/12/2015 09:44


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GABRIELA MENEZES GONÇALVES DE BRITO
DATA: 27/01/2016
HORA: 14:00
LOCAL: Sala RUTE- Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe.
TÍTULO: QUALIDADE DE VIDA, CONHECIMENTO E ATITUDE DE INDIVÍDUOS COM DIABETES APÓS PARTICIPAÇÃO EM PROGRAMA EDUCATIVO
PALAVRAS-CHAVES: Qualidade de vida, conhecimento, atitude, diabetes mellitus tipo 2, educação em saúde.
PÁGINAS: 87
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
SUBÁREA: Enfermagem de Saúde Pública
RESUMO:

O diabetes mellitus (DM) é uma doença crônica que apresenta incidência crescente e elevada morbimortalidade. O seu tratamento exige mudanças no estilo de vida do indivíduo. Todo esse contexto pode interferir na qualidade de vida (QV) do indivíduo com DM. Nesse sentido, a prática de educação em saúde tem sido considerada uma intervenção eficaz para a melhora da QV, conhecimento e atitude do indivíduo frente ao DM. Objetivo: Avaliar a QV, conhecimento e atitude de indivíduos com DM após participação em programa educativo específico. Metodologia: Quase experimental, prospectivo, comparativo, do tipo antes e depois, desenvolvido com indivíduos com DM tipo 2 (DM2) atendidos no Ambulatório de Endocrinologia do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe. A amostra foi constituída por 110 indivíduos, os quais foram divididos em grupos teste (GT) e controle (GC). O GC recebeu o atendimento da equipe multiprofissional do ambulatório e o GT, além de receber o atendimento de rotina, participou das intervenções propostas no programa. Foram utilizados cinco instrumentos, um para a caracterização sóciodemográfica e clínica, dois para avaliação da QV (Whoqol- bref e B-PAID), um para avalição do conhecimento (DKN-A) e outro para avaliação da atitude (ATT-19). Resultados: O domínio Psicológico do Whoqol- Bref foi o que apresentou maiores médias (14,98 e 14,22), enquanto que Meio Ambiente, as menores (12,94 e 12,28), na primeira fase, no GT e GC, respectivamente. Foi identificada diferença entre os grupos no domínio Relações Sociais, com o GT tendo apresentado melhor avaliação (p=0,05) na segunda fase. Com relação à medida B-PAID, houve diminuição da média na segunda fase da pesquisa nos dois grupos, todavia, o delta do GT foi maior, sugerindo que esse grupo apresentou maior diminuição do sofrimento. Houve aquisição de conhecimento sobre a doença e tratamento (p=0,01) e discreto aumento de atitude no GT e diminuição no GC. Conclusão: A realização de programa educativo dirigido a indivíduos com DM2 pode contribuir para o aumento da QV, diminuição do sofrimento, aquisição de conhecimento sobre a doença e seu tratamento e melhora da atitude de enfrentamento.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2102691 - CRISTIANE FRANCA LISBOA GOIS
Interno - 2178493 - MARIA CLAUDIA TAVARES DE MATTOS
Externo à Instituição - MARIA LUCIA ZANETTI

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307