UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 23 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: FRANCIELLE FEITOSA DIAS SANTOS
26/11/2015 10:56


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCIELLE FEITOSA DIAS SANTOS
DATA: 18/12/2015
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Farmácia
TÍTULO: EFEITO CARDIOPROTETOR DO CARVACROL NA LESÃO DE REPERFUSÃO CARDÍACA EM RATOS
PALAVRAS-CHAVES: isquemia-reperfusão, função cardíaca, carvacrol, estresse oxidativo
PÁGINAS: 65
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A origem da lesão de reperfusão é explicada pelo paradoxo do oxigênio e pela sobrecarga de cálcio intracelular. Estes eventos causam danos teciduais que comprometem o funcionamento do miocárdio. Poucas são as estratégias de intervenção farmacológica para a prevenção e limitação destas lesões, além disso, as formas disponíveis de intervenção não são totalmente eficazes. Neste contexto, o Carvacrol (CAR), 2-metil-5-isopropilfenol, um monoterpeno fenólico extraído de óleos essenciais, é lipossolúvel e apresenta várias atividades biológicas como anti-inflamatória e hepatoprotetora, bem como a antioxidante, o que pode ser uma importante ferramenta de intervenção para a prevenção de tais lesões. Além de se obter um fármaco eficaz para um determinado problema, aumentar a eficiência da ação do mesmo ainda é almejada e vem sendo utilizado, pela indústria farmacêutica, artifícios para este fim. Assim, a β-ciclodextrina (β-CD) é utilizada para estabilizar e melhorar a biodisponibilidade de formulações e desta forma, conferir benefícios tais como menor dose de utilização e preservação da degradação do fármaco. Neste sentido, o objetivo deste estudo foi avaliar o potencial cardioprotetor do complexo de inclusão Carvacrol/β-ciclodextrina (CAR/β-CD) na prevenção dos danos provocados pelas lesões de reperfusão na função cardíaca e sobre o perfil redox do miocárdio. Primeiramente a atividade antioxidante in vitro do CAR foi mensurada. Para o estudo do seu potencial efeito cardioprotetor, ratos Wistar (2 - 3 meses de idade) foram divididos em 5 grupos experimentais e pré-tratados por 7 dias com CAR/β-CD ou CAR em sua forma livre (50 e 25 mg/kg/dia - via oral) e então submetidos à isquemia e reperfusão ex vivo. A aferição da pressão ventricular sistólica e diastólica foi realizada em sistema de Langendorff. Para o estudo do status redox foram quantificadas as concentrações de hidroperóxidos; malondialdeído (MDA), grupamentos sulfidrilas e carbonilas. Foram também verificadas as atividades enzimáticas da superóxido dismutase (SOD), catalase (CAT) e glutationas peroxidase (GPx) e redutase (GR). A análise da dimensão da região infartada foi realizada após coloração com trifeniltetrazólio (TTC) e o índice de severidade de arritmias foi também calculado. Para análise estatística foi aplicado o teste ANOVA de uma via, seguido pelo teste de Tukey e foram considerados significantes valores de p<0,05. O CAR (35 μg/mL) apresentou 43,8% de atividade antioxidante no tempo 60 minutos. Animais pré-tratados com 25 mg/kg de CAR/β-CD obtiveram melhor desempenho contrátil na fase de reperfusão quando comparado aos animais do grupo CAR (53,3±21 vs 26,7±16 cmHg). A concentração de hidroperóxidos, MDA e proteínas sulfidrilas foram reduzidas no coração de animais pré-tratados com 25 mg/kg de CAR/β-CD em relação ao grupo CAR (18,8 ± 4 vs54,9 +/-6 nmol.mg-1 proteína). As atividades da SOD e CAT mostraram-se reduzidas no grupo pré-tratado com 25 mg/kg de CAR/β-CD quando comparadas ao CAR. Estes resultados indicam que o complexo de inclusão CAR/β-CD25 mg/kg promoveu cardioproteção na lesão de reperfusão cardíaca em ratos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2445308 - ADRIANO ANTUNES DE SOUZA ARAUJO
Externo ao Programa - 1070197 - CRISTIANE BANI CORREA
Interno - 1547944 - SARA MARIA THOMAZZI

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5