UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: HUGO NIVALDO MELO ALMEIDA LIMA
20/08/2015 11:24


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: HUGO NIVALDO MELO ALMEIDA LIMA
DATA: 10/09/2015
HORA: 14:00
LOCAL: sala de aula 26 Centro de Pesquisas Biomédicas
TÍTULO: Capacidade Funcional para o Exercício e Nível de Atividade Física de Crianças e Adolescentes com Anemia Falciforme
PALAVRAS-CHAVES: Anemia Falciforme; Exercício; Aptidão física; Caminhada.
PÁGINAS: 98
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Educação Física
RESUMO:

A anemia falciforme (AF) é uma doença com grande importância clínica e epidemiológica, várias manifestações clínicas são comumente observadas em pacientes com AF, e estas manifestações parecem estar associadas com uma menor capacidade ao exercício. No entanto, pouco se sabe sobre o nível de atividade física (NAF) e sua relação com o desempenho físico em crianças e adolescentes com AF. Esta dissertação é composta por dois artigos originais. No primeiro artigo, “Determinants of the maximum walking distance of the six-minute walking test in children and adolescents with sickle cell anemia”, os principais achados foram que os determinantes da distância máxima do teste de caminhada de 6 minutos (TC6) em crianças e adolescentes com AF estão relacionados positivamente com a idade e negativamente com o IMC. Em adição, uma equação foi criada para prever a distância máxima. 6MWD = 487.7 + (age * 18.3) – (BMI * 12). A confiabilidade dessa equação foi avaliada usando o gráfico de Bland e Altman em um segundo e independente grupo de pacientes. O segundo artigo, “Physical activity level by questionnaire and physical performance by six-minute walking test in children and adolescents with sickle cell anemia”, comparou o NAF, avaliado por meio do Physical Activity Questionnaire for Older Children and Adolescents (PAQs), e o desempenho físico, mensurado pelo TC6 de crianças e adolescentes com e sem AF, além de investigar possíveis relações entre NAF e desempenho físico em ambos os grupos. Neste estudo observou-se que crianças e adolescentes com AF possuem um NAF inferior ao de indivíduos saudáveis, quando medidos pelo PAQs e ao comparar o desempenho físico no TC6, nós observamos que o grupo com AF apresentou, clinicamente, pior desempenho no teste, comparado a indivíduos saudáveis. Coletivamente, estes achados podem afirmar que os pacientes portadores de AF apresentam capacidades físicas para o exercício abaixo do normal. Os principais determinantes para essa capacidade de exercício anormal são idade e IMC. Tal fato poderá balizar pesquisas associadas à causalidade da menor prática de atividade física nessa população.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 577945 - ROSANA CIPOLOTTI
Externo à Instituição - THARCIANO LUIZ TEIXEIRA BRAGA DA SILVA
Interno - 2013648 - VITOR OLIVEIRA CARVALHO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5