UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MAKSON GLEYDSON BRITO DE OLIVEIRA
12/08/2015 10:47


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MAKSON GLEYDSON BRITO DE OLIVEIRA
DATA: 27/08/2015
HORA: 09:00
LOCAL: sala de aula 26 Centro de Pesquisas Biomédicas
TÍTULO: EFEITO DO COMPLEXO DE INCLUSÃO CONTENDO α-TERPINEOL E β-CICLODEXTRINA NA HIPERALGESIA NÃO INFLAMATÓRIA EM ROEDORES
PALAVRAS-CHAVES: α-Terpineol, β-ciclodextrina, fibromialgia, Dor, Dor Crônica, Sistema Opióide.
PÁGINAS: 90
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

O α-terpineol (TPN) é um monoterpeno alcoólico presente no óleo essencial de orégano e tomilho com propriedades anticonvulsivantes, antinociceptiva e anti-inflamatória. As propriedades analgésicas do TPN estão associadas a suas ações no sistema nervoso central (SNC), sendo sugestivo seu efeito sobre dores crônicas conhecidas como disfuncionais, tais como a fibromialgia (FM). A FM é uma doença reumatológica crônica de fisiopatologia relacionada a alterações em sistemas de neurotransmissão e sua terapia atual é caracterizada principalmente pela conduta farmacoterapêutica, contudo, com significativa farmacoresistência terapêutica. Dessa forma, o objetivo do trabalho foi avaliar a possível efeito anti-hiperalgésica do complexo de inclusão contendo TPN e β-ciclodextrina (βCD) no modelo de dor muscular crônica não inflamatória (considerado ser um modelo experimental de FM) em roedores. O complexo TPN-βCD foi preparado e caracterizado por termogravimetria (TG), espectroscopia de absorção na região do infravermelho com transformada de Fourier (FTIR), e microscopia eletrônica de varredura (MEV). Foram utilizados camundongos machos Swiss albinos pesando de 20-30g, oriundos do Biotério Central da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e os protocolos experimentais foram aprovados pelo Comitê de Ética em Pesquisa com Animais da UFS (CEPA/UFS - 08/2011). O modelo de hiperalgesia muscular crônica não inflamatória foi induzida por duas injeções de solução salina (pH 4,0 - 20 µL) no gastrocnêmio esquerdo, sendo a primeira no dia 0 e novamente no dia 5. Após a indução da hiperalgesia, os animais foram tratados com αTPN-βCD (25, 50 ou 100 mg/kg; v.o.), veículo (saline 0.9%, v.o.) ou Tramadol (5 mg/kg; i.p.) durante 10 dias consecutivos. Uma hora após analise da hiperalgesia mecânica, avaliou-se o desempenho motor no teste do Rota-Rod e a força muscular no Grip Strength Meter. Além disso, foi testada o possivel antagonismo da ação analgésica pela administração de naloxona e ondansetrona (antagosnistas de receptores opióides e serotoninergico). Os resultados foram expressos como média ± erro padrão da média e as diferenças entre os grupos foram analisadas por meio do teste de variância ANOVA, seguido pós-teste de Tukey. Os testes de caracterização indicaram que o αTPN incorporou de forma eficiente na βCD. O tratamento oral com αTPN-βCD, em todas as doses testadas, produziu uma redução estatisticamente significativa (p<0,001) na hiperalgesia mecânica, sem causar alterações na força e na coordenação motora. O efeito analgésico foi revertido pela administração sistêmica de naloxona ou ondansetrona. Estes resultados foram confirmados pelo estudo de “docking”, que verificou uma possível interação do αTPN-βCD com receptores Opióides (MU, Kappa, Delta) e de Serotonina. Assim, pode-se concluir que o complexo αTPN-βCD reduziu a hiperalgesia mecânica modelo de nocicepção muscular crônica, provavelmente por ativação de áreas do SNC, agindo, possivelmente, nos receptores opióides e serotoninérgicos.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2030649 - MAIRIM RUSSO SERAFINI
Interno - 1694364 - SANDRA LAUTON SANTOS
Externo ao Programa - 1687696 - WALDECY DE LUCCA JUNIOR

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5