UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 24 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: LUZIA NILDA TABOSA ANDRADE
10/08/2015 16:23


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUZIA NILDA TABOSA ANDRADE
DATA: 28/08/2015
HORA: 17:30
LOCAL: Sla 17 Bloco E, Universidade Tiradentes
TÍTULO: Estruturas Nanoparticuladas para Recobrimento de Sementes de Girassol com Ação contra Alternaria sp
PALAVRAS-CHAVES: Nanocompósito de prata, biopolímeros, flavonoides
PÁGINAS: 112
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Microbiologia
SUBÁREA: Microbiologia Aplicada
ESPECIALIDADE: Microbiologia Industrial e de Fermentação
RESUMO:

Resumo

O uso de membranas a base de biopolímeros associadas à nanopartícula de prata e extrato hidroalcoólico de própolis vermelha no recobrimento de sementes de girassol (Helianthus annuus L.) potencializa a ação antimicrobiana em amplo aspecto e, promove a redução de agroquímicos na agricultura. A associação entre nanopartículas de prata e biopolímeros via rota biológica apresenta vantagens devido à solubilidade em água e ausência de toxidade. Recentemente, foi desenvolvida uma técnica para produção de nanopartículas associadas à goma xantana, tendo como produto um biopolímero com potencialidade de utilização em múltiplos setores da indústria, mediante o processo via rota biológica utilizado pela bactéria Xanthomonas campestris pv. campestris na presença de nitrato de prata. O objetivo do presente trabalho foi produzir uma membrana segundo a técnica de Casting composta por Pectina, Goma Xantana Industrial, Goma Xantana produzida por rota biológica com e sem a adição de AgNO3, Extrato hidroalcoólico de própolis vermelha e Glicerol utilizadas para o revestimento de sementes de girassol com atividade contra Alternaria sp. As membranas obtidas foram caracterizadas quanto a propriedades, mecânicas e óticas, permeabilidade ao vapor de água, espectroscopia de absorção na região do infravermelho com transformada de Fourier e análises térmicas. Os resultados da caracterização evidenciaram que a incorporação de GXAg e EHPV na composição das membranas alterou as propriedades mecânicas, com diferença significativa (p<0,1 e p<0,001). Em relação à deformação, as membranas não apresentaram diferenças significativas (p>0,05). Na tensão máxima (GXAgPV e GXPV) apresentaram diferenças significativas (p<0,01) onde GXPV, possui maior tensão de ruptura seguida por GXAgPV. No módulo de Young, somente GXPV apresentou diferenças significativas (p<0,001), frente às demais membranas. Nas propriedades óticas, para Δa, GXAgPV e GXAg (19,23 e 9,23) apresentam variação da coloração (vermelho mais intenso a vermelho) em relação ao padrão controle. Para Δb, valores positivos de 24,04 e 10,61 para GXAg e GXAgPV, indicando tonalidade mais amarela quando comparados a (GXCtr). Portanto, GXPV apresentou menor diferença em relação à membrana controle (p<0,05). No parâmetro ΔL, todas as membranas apresentaram diferenças significativas entre si (p<0,01). Quanto maior a diferença entre os valores e o (GXCtr), maiores são as diferenças de cor. GXAgPV apresenta a maior diferença de valores em relação a membrana GXAg (61,85 e 40,96). Os resultados de permeabilidade apresentou diferença estatística entre GXCtr e GXAgPV, com menor permeabilidade ao vapor de água quando comparados com GXPV (p<0,001) e GXAg. Nas análises de FTIR, o perfil dos espectros apresentou-se bastante similares entre si, com aumento da intensidade de algumas bandas na amostra contendo prata. Nenhuma nova banda foi observada no espectro, indicando que nenhuma nova ligação foi formada entre o polímero e as nanopartículas de prata. E, nas análises térmicas, as membranas (GXAg e GXAgPV), ambas perderam cerca de 55% com destaque para GXAg que apresentou massa residual de cerca de 28% em 900oC, sugerindo presença de prata nesta temperatura. Na avaliação da atividade antifúngica, foi utilizada a técnica de microdiluição em placas 96 poços. O nanocompósito de prata presente na membrana GXAg apresentou efeito fungicida minimo na concentração de 4.4 ppm de Ag. Entretanto na membrana controle houve crescimento do fitopatogeno Alternaria sp. Com base nos resultados a bactéria Xanthomonas campestris pv. campestris mostrou-se potencialmente eficaz para produção de biopolímeros antifúngicos, propiciando a redução da prata em meio fermentativo, presente nas formulações das membranas utilizadas.

Os resultados encontrados para a percentagem de germinação de sementes de girassol em laboratório e casa de vegetação mostram que não houve diferença significativa entre os tratamentos das sementes recobertas com as membranas e das sementes sem revestimento (controle) sugerindo que não houve influência na incorporação das membranas nas sementes testadas (p < 0,05).


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2335200 - CHARLES DOS SANTOS ESTEVAM
Presidente - 690.948.450-91 - FRANCINE FERREIRA PADILHA
Externo ao Programa - 479.432.115-53 - MARCELO DA COSTA MENDONCA
Externo ao Programa - 579.662.146-72 - MARCELO FERREIRA FERNANDES
Interno - 138.707.468-74 - MARGARETE ZANARDO GOMES
Interno - 849.876.344-49 - RICARDO LUIZ CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE JUNIOR
Externo ao Programa - 2208516 - ROBERTA PEREIRA MIRANDA FERNANDES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5