UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 23 de Setembro de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: DEISE SANTOS DO NASCIMENTO
10/08/2015 09:59


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DEISE SANTOS DO NASCIMENTO
DATA: 27/08/2015
HORA: 17:00
LOCAL: Miniauditório
TÍTULO: CADERNO DE LEITURA LITERÁRIA PARA A EJA: UMA PROPOSTA ÉTNICO-RACIAL
PALAVRAS-CHAVES: EJA. Ensino. Formação do leitor. TDIC. Abordagem afro-brasileira.
PÁGINAS: 120
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Letras
SUBÁREA: Literatura Brasileira
RESUMO:

O presente trabalho de conclusão do curso de Mestrado Profissional em Letras, (PROFLETRAS), tem como finalidade apresentar considerações acerca de uma atividade de intervenção realizada com alunos do Ensino Fundamental II, de uma escola pública da rede estadual, no município de Laranjeiras, que disponibilizou aos alunos oficinas literárias para a formação de leitores críticos. Da aplicação das oficinas, gerou-se um Caderno de Oficina Literária. Na oportunidade, o material abre espaço para uma abordagem cultural de leitura para os textos literários, a partir das questões étnico-raciais, com a aplicação de uma atividade interdisciplinar e intertextual, que priorize os conhecimentos de mundo do leitor, aliados à formação da memória literária. As oficinas trazem uma reflexão crítica que valoriza o pertencimento à cultura afro-brasileira, proporcionando a participação dos leitores como coautores do texto literário conforme as teorias sobre o leitor; com base no que discorrem Umberto Eco em Lector in Fábula, Luiz Costa Lima, em sua obra, A leitura e o leitor e Robson Tinoco em Leitor real e teoria da recepção, para que a partir desse processo dialógico, significativo e semiótico, houvesse a recepção engajada do texto na questão da identidade e reconhecimento da história e cultura afro-brasileiras. Para tal, trabalhou – se com a turma a obra O Cortiço, de Aluísio Azevedo, de maneira a verificar como a visão europeia, racista e preconceituosa de nossa sociedade, relacionada aos estereótipos atribuídos às mulheres negra e mulata e a condição do negro, é abordada na Literatura. Portanto, para fundamentar esta pesquisa e assim obter os objetivos pretendidos, utilizamos um referencial teórico pautado, principalmente, nas questões de processos da leitura literária, revistos em Annie Rouxel e Maria de Fátima B. Cruz, e sobre a análise do negro na literatura brasileira, pela visão de Eduardo Duarte, dentre outros. Ainda, para a base metodológica da Oficina, trouxemos, principalmente, as ideias da proposta humanizadora de CRUZ (2012), para tratar o texto de maneira interdisciplinar, uma vez que a autora propõe um trabalho a partir dos aspectos pessoais e psicológicos do leitor, além da valorização do repertório cultural daquele que pratica o ato de ler. Utilizamos, também, os aspectos da intertextualidade cultural de Carlos Gomes, que entende que a prática cultural de leitura pode ser realizada através de uma abordagem heterogênea, vista no texto literário. Enfim, para as questões de recepção do texto, fazemos uso das ideias do método recepcional de Maria Bordini e Vera Aguiar e considerações acerca da mediação pedagógica tratada pelo uso de Tecnologias Digitais da Comunicação e Informação (TDIC).


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 95283 - CARLOS MAGNO SANTOS GOMES
Interno - 1687732 - JEANE DE CASSIA NASCIMENTO SANTOS
Externo à Instituição - MARIA DE FÁTIMA BERENICE DA CRUZ

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r16100-6196392814