UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 20 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: KAREN LETICIA DE SANTANA
22/07/2015 16:15


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: KAREN LETICIA DE SANTANA
DATA: 10/08/2015
HORA: 15:00
LOCAL: Sala de aula do Laboratório de Flavor e Análises Cromatograficas
TÍTULO: PROCESSO BIOTECNOLÓGICO PARA A OBTENÇÃO DO COMPOSTO 2-FENILETANOL PELO USO DE RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS ATRAVES DE MICRORGANISMOS ISOLADOS DE FRUTAS TROPICAIS”
PALAVRAS-CHAVES: Bioaromas, resíduos agroíndustriais, Cromatografia Gasosa, espectrometria de massas, 2-feniletanol, micro-organismo
PÁGINAS: 202
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
SUBÁREA: Tecnologia de Alimentos
ESPECIALIDADE: Aproveitamento de Subprodutos
RESUMO:

RESUMO

A produção de bioaromas a partir de microrganismos isolados de fontes naturais tem recebido uma atenção pela indústria de aromas, tendo em vista a maior demanda dos consumidores por produtos naturais. Aplicação de resíduos agroindustriais em bioprocessos pode ser utilizada como fontes alternativas de substratos em fermentação. De forma a incentivar a agregação de valor em resíduos agroindustrial o principal objetivo deste trabalho foi utilizar os mesmos como fonte natural de energia para o crescimento e carbono para síntese da biomassa celular e outros produtos do metabolismo microbiano de isolados de frutas na formação do composto 2- feniletanol (2-FE) e comparar sua produção em meio sintético. Isolados endofiticos de 14 frutas (manga, acerola, caju, uva, abacaxi, umbu, graviola, sapoti, pinha, jaca, maracujá, goiaba, mangaba e seriguela) foram inoculados e fermentados sob agitação de 150 rpm e 30°C por 72 horas e acrescentado 6,0 g dos resíduos agroindustriais como substrato nas mesmas frutas isoladas e comparados com o meio sintético (YM líquido), a fim de serem analisados sensorialmente. A identificação e quantificação do 2-FE foram feitas por cromatografia gasosa acoplado com detector de espectrometria de massas. A identificação das leveduras isoladas e promissoras foi realizada por identificação pela biologia molecular e por espectrometria de massas MALDI-TOF-MS. A captura de compostos voláteis foi realizada através de micro extração em fase sólida otimizada usando a fibra DVB/PDMS, temperatura de 40ºC e 30 min de tempo de extração. No meio sintético todas as cepas isoladas foram capazes de produzir o composto 2-FE, onde a cepa Torulaspora delbrueckii isolado de caju foi à melhor produtora no meio com resíduo quando comparada com a levedura Geotrichum candidum (isolada de maracujá). Segundo a análise da superfície de resposta, o processo de produção foi otimizado, onde a maior produção do 2-FE (9,33 g/L) foi obtida após 72 h de fermentação com a levedura Torulaspora delbrueckii entre 150,0 até 184 rpm de agitação e com variação da concentração de resíduo de 20,0 a 50,0 g/L e para se obter uma melhor produção de 2-FE, deve-se utilizar o ponto médio de L-PHE. A partir destas condições otimizadas foi possível realizar um escalonamento da produção deste composto no biorreator e foi possível obter uma produção 1,43 vezes maior de 2-FE (13,38 g/L) quando comparado com a produção em frascos âmbar. Desta forma, este trabalho concluiu que a levedura isolada de caju e o resíduo de caju podem ser utilizados para obter produtos de aroma floral (2-FE) assim constituindo como uma alternativa aos processos convencionais, os quais em sua maioria utilizam meios sintéticos complexos e leveduras comerciais.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2335200 - CHARLES DOS SANTOS ESTEVAM
Externo ao Programa - 2505573 - LUCIANA CRISTINA LINS DE AQUINO SANTANA
Interno - 1467719 - LUCINDO JOSE QUINTANS JUNIOR
Externo ao Programa - 1685300 - MARCELO DA ROSA ALEXANDRE
Presidente - 6330812 - NARENDRA NARAIN
Interno - 2178474 - ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307