UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: LUZIA NILDA TABOSA ANDRADE
16/07/2015 16:07


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUZIA NILDA TABOSA ANDRADE
DATA: 31/07/2015
HORA: 15:30
LOCAL: Sala 17 do bloco F - Universidade Tiradentes
TÍTULO: Estruturas Nanoparticuladas para Recobrimento de Sementes de Girassol com Ação contra diferentes Espécies de Alternaria
PALAVRAS-CHAVES: Nanocompósito de prata, biopolímeros, flavonoides
PÁGINAS: 112
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Microbiologia
SUBÁREA: Microbiologia Aplicada
ESPECIALIDADE: Microbiologia Industrial e de Fermentação
RESUMO:

Resumo

O uso de membranas a base de biopolímeros associadas à nanopartícula de prata e extrato hidroalcoólico de própolis vermelha no recobrimento de sementes de girassol (Helianthus annuus L.) potencializa a ação antimicrobiana em amplo aspecto e, promove a redução de agroquímicos na agricultura. A associação entre nanopartículas de prata e biopolímeros via rota biológica apresenta vantagens devido à solubilidade em água e ausência de toxidade. Recentemente, foi desenvolvida uma técnica para produção de nanopartículas associadas à goma xantana, tendo como produto um biopolímero com potencialidade de utilização em múltiplos setores da indústria, mediante o processo via rota biológica utilizado pela bactéria Xanthomonas campestris pv. campestris na presença de nitrato de prata. O objetivo do presente trabalho foi produzir uma membrana segundo a técnica de Casting composta por Pectina, Goma Xantana Industrial, Goma Xantana produzida por rota biológica com e sem a adição de AgNO3, Extrato hidroalcoólico de própolis vermelha e Glicerol utilizadas para o revestimento de sementes de girassol com atividade contra Alternaria sp. As membranas obtidas foram caracterizadas quanto a propriedades, mecânicas e óticas, permeabilidade ao vapor de água, espectroscopia de absorção na região do infravermelho com transformada de Fourier e análises térmicas. Os resultados da caracterização evidenciaram que a incorporação de GXAg e EHPV na composição das membranas alterou as propriedades mecânicas, com diferença significativa (p<0,1 e p<0,001). Em relação à deformação, as membranas não apresentaram diferenças significativas (p>0,05). Na tensão máxima (GXAgPV e GXPV) apresentaram diferenças significativas (p<0,01) onde GXPV, possui maior tensão de ruptura seguida por GXAgPV. No módulo de Young, somente GXPV apresentou diferenças significativas (p<0,001), frente às demais membranas. Nas propriedades óticas, para Δa, GXAgPV e GXAg (19,23 e 9,23) apresentam variação da coloração (vermelho mais intenso a vermelho) em relação ao padrão controle. Para Δb, valores positivos de 24,04 e 10,61 para GXAg e GXAgPV, indicando tonalidade mais amarela quando comparados a (GXCtr). Portanto, GXPV apresentou menor diferença em relação à membrana controle (p<0,05). No parâmetro ΔL, todas as membranas apresentaram diferenças significativas entre si (p<0,01). Quanto maior a diferença entre os valores e o (GXCtr), maiores são as diferenças de cor. GXAgPV apresenta a maior diferença de valores em relação a membrana GXAg (61,85 e 40,96). Os resultados de permeabilidade apresentou diferença estatística entre GXCtr e GXAgPV, com menor permeabilidade ao vapor de água quando comparados com GXPV (p<0,001) e GXAg. Nas análises de FTIR, o perfil dos espectros apresentou-se bastante similares entre si, com aumento da intensidade de algumas bandas na amostra contendo prata. Nenhuma nova banda foi observada no espectro, indicando que nenhuma nova ligação foi formada entre o polímero e as nanopartículas de prata. E, nas análises térmicas, as membranas (GXAg e GXAgPV), ambas perderam cerca de 55% com destaque para GXAg que apresentou massa residual de cerca de 28% em 900oC, sugerindo presença de prata nesta temperatura. Na avaliação da atividade antifúngica, foi utilizada a técnica de microdiluição em placas Elisa de 96 poços. O nanocompósito de prata presente nas membranas apresentou capacidade de inibição da Alternaria sp com CIM de 0,1562mg/mL e CFM de 0,625mg/mL. Com base nos resultados a bactéria Xanthomonas campestris pv. campestris mostrou-se potencialmente eficaz para produção de biopolímeros antifúngicos, propiciando a redução da prata em meio fermentativo, presente nas formulações das membranas utilizadas.

Os resultados encontrados para a percentagem de germinação de sementes de girassol em laboratório e casa de vegetação mostram que não houve diferença significativa entre os tratamentos das sementes recobertas com as membranas e das sementes sem revestimento (controle) sugerindo que não houve influência na incorporação das membranas nas sementes testadas (p < 0,05).


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2335200 - CHARLES DOS SANTOS ESTEVAM
Presidente - 690.948.450-91 - FRANCINE FERREIRA PADILHA
Externo à Instituição - MARCELO DA COSTA MENDONCA
Externo à Instituição - MARCELO FERREIRA FERNANDES
Interno - 849.876.344-49 - RICARDO LUIZ CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE JUNIOR
Externo ao Programa - 2208516 - ROBERTA PEREIRA MIRANDA FERNANDES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307