UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Junho de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: RAFAELLA SANTANA SANTOS
10/07/2015 14:10


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RAFAELLA SANTANA SANTOS
DATA: 22/07/2015
HORA: 09:00
LOCAL: Sala multiuso do PPEC
TÍTULO: Lixo de formigas cortadeiras e seu papel no desenvolvimento de plantas
PALAVRAS-CHAVES: cultivo orgânico, hortaliças, recuperação de áreas degradas, formigas cortadeiras
PÁGINAS: 25
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

O lixo de formigas cortadeiras é oriundo da degradação do material vegetal após ser parcialmente consumido pelas operárias para manutenção do jardim de fungo. É composto também por formigas mortas e restos do próprio fungo simbionte. É um material extremamente rico em diversos nutrientes (N,P,K,Mg,S) e pode atuar como um dos principais contribuintes da matéria orgânica em solos tropicais, influenciando na abundância, riqueza e no desenvolvimento de espécies vegetais. Além disso, por ser um material renovável, relativamente de fácil disponibilidade e coleta, pode ser um composto com alto potencial em cultivos orgânicos. Nesse sentido, o presente estudo pretende analisar o efeito desse material em duas situações distintas: (1) como substrato para a produção de hortaliças em cultivo orgânico e (2) no processo de germinação e estabelecimento inicial de plantas pioneiras em parcelas recém desmatadas em um fragmento de Mata Atlântica. Para alcance desse objetivo, o estudo será dividido em duas etapas: na primeira, será testado o desempenho de mudas de hortaliças cultivadas com diferentes substratos, entre eles o lixo de formigas diferentes concentrações. O delineamento experimental utilizado será de blocos inteiramente casualizados, formados por sete tratamentos em quatro blocos (repetições). Os tratamentos serão constituídos pelas seguintes misturas: Controle (Cont) considerado o substrato base contendo Casca de Pinus sp. + Fibra de coco (1:1); substrato comercial (Tropstrato®) - (Trop); composto orgânico (Org) e lixo de formigueiros + substrato base, oriundo de duas espécies (Atta opaciceps e Acromyrmex balzani). Nesse caso, haverá duas concentrações de 5% e 10% para cada uma das espécies testadas (Lat5, Lat10, Lac5 e Lac10), para Atta e Acromyrmex, respectivamente. Serão realizadas avaliações morfológicas das plântulas (altura, comprimento da raiz, diâmetro do caule, massa seca e número de folhas) em quatro períodos: aos 15, 20, 25 e 30 dias após a semeadura. Para segunda etapa do experimento, será feito teste de germinação e desenvolvimento de plantas que irão colonizar naturalmente parcelas em um fragmento de Mata Atlântica em processo de regeneração. Serão instaladas 30 parcelas de 30x30cm, sendo 15 parcelas com mistura do lixo da formiga cortadeira Acromyrmex balzani em mistura com solo local na concentração que as mudas de hortaliças melhor desenvolverem na etapa I, e 15 parcelas controle contendo solo local. A vegetação das parcelas será completamente removida e em seguida serão deixadas para serem colonizadas naturalmente, pelo banco local de sementes. Será feita a avaliação da riqueza e abundância de plântulas nas parcelas. Além disso, 50 sementes de Cecrópia pachystachya serão distribuídas em cada parcela para avaliação de desempenho desta espécie arbórea pioneira. O desempenho será medido semanalmente pela taxa de germinação após a semeadura e altura das plântulas (cm). Após 90 dias serão avaliadas biomassa, comprimento vegetativo e da raiz das plântulas.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1819383 - ADRIANA BOCCHIGLIERI
Presidente - 1674021 - LEANDRO DE SOUSA SOUTO
Externo à Instituição - SINARA MARIA MOREIRA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9