UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 02 de Fevereiro de 2023

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de DEFESA: ROSANA ROCHA SIQUEIRA
13/04/2015 15:35


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROSANA ROCHA SIQUEIRA
DATA: 28/04/2015
HORA: 09:00
LOCAL: Polo de Gestão- PRODEMA
TÍTULO: MULHERES E O CONSUMO SUSTENTÁVEL:PERCEPÇÕES E DESAFIOS NO CONTEXTO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DE SERGIPE.
PALAVRAS-CHAVES: Mulher, consumo, sustentabilidade
PÁGINAS: 260
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A motivação para realização deste estudo surgiu da percepção de problemáticas que
perpassam o campo conflituoso relacionado às mulheres e as práticas de consumo.
Diante da ascendente valorização das práticas de consumo na contemporaneidade,
percebem-se aspectos indissociáveis de âmbito econômico, ambiental, cultural e
simbólico que vão além da manipulação das chamadas “forças hegemônicas” de
produção de mercadorias e novas necessidades, que avançam no constructo de
estereótipos e modelos socialmente construídos do “ser mulher”, nesta trajetória foram
criados elos entre os estilos de vida das mulheres e os novos produtos e serviços. A
fronteira entre o empoderamento e poder de compra tornou-se cada vez mais tênue, uma
vez que abordagens de marketing uniram o sentido de liberdade de escolha do
consumidor ao exercício da cidadania. Neste contexto, esta pesquisa teve como
objetivo analisar as percepções das mulheres em relação as suas práticas de consumo
sob a luz do conceito de consumo sustentável. Como locus da pesquisa elegeu-se o
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe nos campi de Lagarto,
Itabaiana, Estância, São Cristóvão, Aracaju, Nossa Senhora da Glória e Reitoria, nos
quais foram contempladas as mulheres servidoras (professoras e TAEs) e participantes
do Programa Mulheres Mil, que são foco de políticas públicas direcionadas. Trata-se de
uma pesquisa explicativa, qualitativa e quantitativa cujos meios de investigação
baseiam-se na percepção e na abordagem fenomenológica proposta por Alfred Schutz.
Quanto à organização e categorização das respostas obtidas nos questionários optou-se
pela Análise de Conteúdo, conforme Bardin (1977). A contribuição do estudo para as
Ciências ambientais reside na produção de novos conhecimentos que possam convergir
com o avanço da ciência pautada no diálogo interdisciplinar no âmbito das questões de
consumo, principalmente na Região Nordeste do país, estabelecendo congruência entre
outros contextos. Os dados revelaram que o consumo surge como forma de melhorar as
condições de vida e “recompensar” os esforços empreendidos por meio do trabalho, seja
este formal ou informal. Assim, o percebido ainda não se concretiza de forma plena no
vivido destas mulheres, pois alguns obstáculos como a falta de informações sobre o
consumo sustentável, falta de opções de coleta seletiva, de coleta de óleo de cozinha e
outras ações ainda atrapalham participações efetivas e contínuas. A este quadro soma-se
o desconhecimento das políticas públicas relacionadas ao consumo sustentável, que são
desconhecidas para a maioria das mulheres e não surtem efeitos práticos em seus
cotidianos.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - EDSON VICENTE DA SILVA
Externo ao Programa - 1247260 - FERNANDO LUIZ ALVES BARROSO
Externo à Instituição - JOSÉ WELLINGTON CARVALHO VILAR
Externo ao Programa - 426495 - MARIA AUGUSTA MUNDIM VARGAS
Presidente - 2222763 - MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2023 - UFRN v3.5.16 -r18291-d8b5d91c4a