UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: GRACE ANNE AZEVEDO DORIA
10/02/2015 08:42


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GRACE ANNE AZEVEDO DORIA
DATA: 26/02/2015
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Fisiologia/UFS
TÍTULO: Caracterização e Atividade Biológica e Toxicológica da Remirea maritima Aubl.
PALAVRAS-CHAVES: Remirea maritima, efeito antitumoral, propriedade antioxidante, apoptose, toxicidade.
PÁGINAS: 76
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A Remirea maritima Aubl. (Cyperacea) é uma espécie conhecida "pinheirinho-da-praia" e usada popularmente para curar algumas doenças. Estudos têm mostrado a presença de muitos metabólitos secundários ativos, entretanto, estudos científicos sobre suas propriedades medicinais ainda são escassos na literatura. Desta forma, este trabalho teve como objetivo caracterizar quimicamente, avaliar a atividade antitumoral de extratos da R. maritima como também de avaliar a atividade imunohumoral, determinar o teor de fenóis, averiguar a atividade antioxidante, a citotoxicidade e realizar estudos pré-clínicos de toxicidade do extrato hidroalcoólico 40% da R. maritima. A composição química do extrato aquoso (EA) e os extratos hidroalcoólicos 40% (EH40) e 70% (EH70) foi avaliada por HPLC e LC-MS/MS e os compostos isovitexina, vitexina, luteolina e caffeyol foram identificados. Maiores quantidades de isovitexina e vitexina foram encontrados no EA, enquanto que a luteolina e o cafeoil foram encontradas em maiores porcentagens no EH40. A atividade antitumoralin vitro foi avaliada em três culturas de células tumorais humanas pelo ensaio do MTT e apenas o EH40 apresentou efeito antitumoral in vitrocom IC50 de 27,08, 46,62 e >50 µg/ml para as linhagens de células de OVCAR-8 (adenocarcinoma de ovário humano), NCI-H385M(carcinoma brônquio-alveolar humano) e PC-3M (carcinoma de próstata humano), respectivamente. O EA e o EH70 não apresentaram nenhuma atividade in vitro. Diante desse resultado, apenas o EH40 foi conduzida aos ensaios subsequentes. A atividade antitumoral in vivo foi avaliada utilizando camundongos transplantados com Sarcoma 180. A evolução do peso, o leucograma, análise bioquímica (AST, ALT, uréia e creatinina), o peso do tumor e o peso relativo dos órgãos (fígado, baço e rim) foram avaliados no fim do experimento. A taxa de inibição do tumor foi de 57,16 – 62,57%, nas doses de 25 e 50 mg/kg de EH40, respectivamente, e a morfologia tumoral apresentou elevado número de células apoptóticas através do teste de Túnel. Adicionalmente, o EH40 demonstrou atividade imunohumoral com aumento da produção de anticorpos específicos para a ovoalbumina mensurada pelo teste de ELISA e pela morfologia do baço. A determinação de Fenóis totais foi mensurada pelo reagente de Folin–Ciocalteu e o EH40 mostrou alto teor de fenóis. A atividade redox do EH40 foi avaliada com diferentes espécies reativas geradas in vitro e o seu efeito citotóxico contra células de fibroblastos (L929) e melanoma (B16F10) foi testado por meio de ensaio do Vermelho Neutro. O potencial total antioxidante reativo (TRAP) mostrou significativa capacidade antioxidante do EH40 em todas as concentrações testadas; EH40 também foi eficaz de reduzir radical hidroxila e ferro como também foi capaz de reduzir a formação de óxido nítrico. A lipoperoxidaçãoin vitro também foi diminuída pelo EH40 e os dados mostraram proteção aos danos oxidativos. Adicionalmente, o EH40 apresentou diminuição da viabilidade celular em 50% e 30% na concentração de 80 µ g/mL para L929 e B10F16, respectivamente. Estudos pré-clínicos de toxicidade foram realizados segundo a ANVISA e a OECD. Na toxicidade aguda, os ratos receberam uma dose única de 2000 mg/kg, enquanto que na toxicidade subaguda, os animais testes receberam doses diárias de 100, 200 e 400 mg/kg de EH40. A urinálise também foi avaliada. O EH40 não apresentou alterações indicativos de toxicidade. Em suma, o EH40apresentou em sua constituição química a presença de flavonoides e altor teor de fenóis totais e, em estudo farmacológico, o EH40 apesentou atividade antitumoral in vitro e in vivo, com potencial indutor de apoptose, propriedade imunohumoral e antioxidante sem apresentar toxicidade substancial.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2869627 - ADRIANA GIBARA GUIMARÃES
Presidente - 2445308 - ADRIANO ANTUNES DE SOUZA ARAUJO
Externo à Instituição - ANTONIO JOSE ALVES
Interno - 3571566 - JULLYANA DE SOUZA SIQUEIRA QUINTANS
Interno - 2030649 - MAIRIM RUSSO SERAFINI

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12692-c69972fb69