UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: JORGE LUIZ DE ALMEIDA TEIXEIRA
09/02/2015 11:52


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JORGE LUIZ DE ALMEIDA TEIXEIRA
DATA: 24/02/2015
HORA: 10:00
LOCAL: sala de aula 27 Centro de Pesquisas Biomédicas/HU
TÍTULO: DISTRIBUIÇÃO, CARACTERIZAÇÃO E DETERMINAÇÃO DA INCIDÊNCIA DOS CASOS DE FISSURA OROFACIAL NO ESTADO DE SERGIPE
PALAVRAS-CHAVES: Fenda Labial; Fissura Palatina; Incidência; Prevalência.
PÁGINAS: 53
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
RESUMO:

A fissura orofacial (FO) resulta de má formação congênita decorrente de falhas no desenvolvimento ou na maturação dos processos embrionários. A obtenção de dados sobre a incidência FO não é difícil, por ser uma malformação de fácil visualização. Entretanto, no Brasil, os dados epidemiológicos referentes à FO não são precisos. O objetivo dessa pesquisa foi determinar a distribuição, caracterização e incidência dos casos de fissura orofacial no estado de Sergipe, Brasil. Nesta pesquisa foi realizado um estudo com dois cortes, um retrospectivo e outro prospectivo. Inicialmente foi realizado um estudo observacional, transversal e retrospectivo de base populacional dos indivíduos com FO atendidos na SEAFESE, no período de outubro de 2003 a setembro de 2013, sendo determinada a taxa de prevalência de FO. Em seguida, foi realizado um estudo observacional, longitudinal e prospectivo para determinação da taxa de incidência, através de busca ativa, no estado de Sergipe, no período de outubro de 2013 a setembro de 2014. No estudo de incidência foram utilizados como instrumentos de coleta o exame clínico e o roteiro de entrevista. Foi realizado acompanhamento com as equipes de epidemiologia de cada município do estado de Sergipe e nas maternidades da capital e do interior, através de visitas pessoais e/ou através de contato por telefone. Esses indivíduos foram recrutados a comparecer à SEAFESE, para realização da coleta dos dados sociodemográficos, do nascimento e da classificação da fissura. Encontrou-se 669 fissurados registrados na SEAFESE, a média de idade dessa população foi de 15,3 anos, com uma renda mensal entre um e dois salários mínimos, natural do interior do estado de Sergipe e dependente do Sistema Único de Saúde (SUS). A fissura mais ocorrente foi a transforame (48,1%), seguida pela pós-forame (26,8%) e pré-forame (25,1%). Observou-se maior frequência das fissuras unilaterais (72,4%). Foi encontrada uma prevalência 1 caso para cada 1201 nascidos vivos, com os dados obtidos na SEAFESE e uma prevalência 1 caso para cada 2049 com os dados obtidos a partir dos dados do DATASUS. Quanto à incidência, foi observada uma taxa de 0,78:1000, através da busca ativa. Já com os dados do SINASC, a incidência foi de 0,54:1000, isso porque, houve uma subnotificação de 08 casos de FO no SINASC, quando comparado com os resultados da nossa pesquisa. Assim, pode-se concluir que houve uma subnotificação dos casos de FO no estado de Sergipe. Na população estudada o um perfil sociodemográfico predominante foi de indivíduos do sexo masculino, de cor branca, oriundos do interior do estado de Sergipe, com uma renda mensal de até 1 salário mínimo e usuários do SUS.

.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1213791 - LUIZ CARLOS FERREIRA DA SILVA
Externo à Instituição - MARIA IRENE BACHEGA
Interno - 577945 - ROSANA CIPOLOTTI

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307