UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 28 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: DERIVALDO MOURA GOIS FILHO
09/02/2015 09:04


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DERIVALDO MOURA GOIS FILHO
DATA: 27/02/2015
HORA: 15:00
LOCAL: Sala 4 - Didática V
TÍTULO: AVALIAÇÃO DA UNIÃO ENTRE O COMPONENTE PROTÉTICO E A CONEXÃO INTERNA TIPO CONE MORSE DO IMPLANTE DENTÁRIO
PALAVRAS-CHAVES: Implante dentário; Abutment; Microscopia eletrônica varredura; Morse
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
RESUMO:

Os aspectos biomecânicos relacionados à adaptação da prótese sobre o implante dentário estão diretamente associados ao sucesso do tratamento. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar a presença de microgaps na união formada pelo abutment e a conexão interna do implante dentário do tipo Cone Morse. O estudo foi composto de dois grupos onde no primeiro grupo (n:16) foram utilizados materiais (implante dentário e abutment) do mesmo fabricante, Neodent® (Curitiba-PR, Brasil). No segundo grupo (n:16) foram utilizados materiais de fabricantes diferentes, sendo o implante da marca Neodent® (Curitiba-PR, Brasil) e o componente protético da marca Singular®(Parnamirim-RN, Brasil). Os implantes foram montados em uma plataforma de alumínio e posteriormente os componentes protéticos foram instalados com o torque preconizado por cada fabricante. Os conjuntos foram levados ao microscópio eletrônico de varredura (MEV), onde foram realizadas as mensurações do microgap formado entre a conexão do implante e o componente protético. Os resultados obtidos foram submetidos à análise estatística (Mann-Whitney-U) avaliando-se medidas de dispersão e tendência central dos valores (desvio padrão e média). No grupo 1 a média encontrada foi de 5,69µm e o desvio padrão (DP) foi de 8,46µm. O grupo 2 apresentou média de 1,24µm e o DP: 0,44µm. O grupo formado por implante e componente protético do mesmo fabricante apresentou maior dispersão dos dados, com valores maiores para o microgap, comparando-se com o grupo formado pelo conjunto implante-abutment de marcas diferentes. Concluiu-se que, com base nas mensurações realizadas no MEV, o grupo formado por implante e abutment de diferentes fabricantes apresentou menores valores de microgap e consequentemente uma melhor adaptação in vitro.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1918811 - ANTONIO CARLOS MARQUETI
Presidente - 1704209 - CLEVERSON LUCIANO TRENTO
Interno - 004.311.705-84 - LUIZ ALVES DE OLIVEIRA NETO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12762-01b8f192c5