UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: CARLA FRANCISCA DOS SANTOS CRUZ
02/02/2015 11:24


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CARLA FRANCISCA DOS SANTOS CRUZ
DATA: 26/02/2015
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório DFA
TÍTULO: Tradução e adaptação transcultural do instrumento de avaliação de competências do farmacêutico “the global competency framework (GbCF”) para o português do Brasil
PALAVRAS-CHAVES: Educação Farmacêutica, Competência Clínica, Avaliação
PÁGINAS: 131
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

Resumo: Com a crescente necessidade de preparar os estudantes de Farmácia para a prática clínica na comunidade e assegurar a qualidade da atenção, a avaliação passou a ter um papel fundamental na graduação. No entanto, ainda há poucos instrumentos validados de avaliação de competências clínicas do farmacêutico e dos componentes essenciais para a orientação efetiva ao paciente. Diante do exposto, o objetivo do presente trabalho é realizar a tradução e adaptação transcultural do instrumento de avaliação de competências do farmacêutico Global Competency Framework (GbCF) para o português do Brasil. Para tanto, foi realizada uma revisão sistemática para investigar como estão sendo avaliadas as competências Clinicas do Farmacêutico. A busca de artigos foi realizada nas seguintes bases de dados: Scopus, Lilacs, Eric e PubMed. As palavras-chaves foram determinados pelos autores: “Clinical competence”, “Pharmaceutical Care” “Pharmaceutical Education”. A pesquisa bibliográfica identificou 1.782 artigos. Após o processo de exclusão, 51 estudos preencheram os critérios de inclusão. Um total de 30 estudos (58,83%) estavam focados em competências clínicas gerais enquanto que os demais estavam relacionados à competências clínicas especificas. Destes, 14 estudos (27,45%) empregaram o exame clínico objetivo estruturado (OSCE) como metodologia de avaliação de competências clínicas. Os instrumentos utilizados nos estudos variaram muito com apenas sete estudos (13,72%), usando o mesmo instrumento de avaliação, o Global competency framework (GLF). Essa revisão concluiu que há necessidade de instrumentos validados para avaliação de competências, de forma a garantir que as competências dos farmacêuticos sejam aplicáveis, transferíveis, acessíveis e transparentes globalmente. Ademais, o processo de tradução transcultural do instrumento GbCF para o Brasil foi iniciado com as etapas de tradução

e retrotradução. A combinação das técnicas Delphi e grupo nominal foram empregados para obtenção de um consenso sobre os itens do instrumento que constituem os aspectos mais importantes para serem utilizados na avaliação de competências clínicas de farmacêuticos. A versão gerada foi avaliada quanto à equivalência semântica e idiomática do instrumento pelo comitê de Juízes “A” e quanto à equivalência cultural e conceitual pelo comitê de juízes “B” ambos formados por experts desta temática. Na etapa de adaptação os juízes propuseram a modificação de 65 itens do instrumento original incluindo 41 alterações textuais, 22 exclusões, dois agrupamentos e três realocações de itens nos quatro grupos básicos de competências que o instrumento está divido. Com relação à avaliação do comitê de juízes “A”, 31itens (31%) revelaram menos que 80% de concordância entre os juízes e sofreram alterações semânticas. O procedimento descrito resultou na versão em Português do instrumento intitulado: Diretrizes gerais de competências clínicas do farmacêutico.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ALFREDO DIAS DE OLIVEIRA FILHO
Presidente - 1315121 - DIVALDO PEREIRA DE LYRA JUNIOR
Externo à Instituição - PATRICIA MELO AGUIAR

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12692-c69972fb69