UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: BARBARA BRUNA FERNANDES DE ANDRADE
27/01/2015 12:20


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: BARBARA BRUNA FERNANDES DE ANDRADE
DATA: 12/02/2015
HORA: 14:00
LOCAL: sala de aula 27 Centro de Pesquisas Biomédicas/HU
TÍTULO: CONHECIMENTO SOBRE ASMA EM ADOLESCENTES DOENTES E SADIOS
PALAVRAS-CHAVES: Asma, adolescente, conhecimento.
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

A asma é uma doença heterogênea, geralmente caracterizada pela inflamação crônica das vias aéreas, definida por sintomas respiratórios como chiado, falta de ar, aperto no peito e tosse que variam ao longo do tempo e em intensidade, juntamente com limitação do fluxo aéreo expiratório variável. Estima-se que possa ocorrer um subdiagnóstico de asma em adolescentes, devido a características comuns desta população como a negação dos sintomas, negligência quanto à percepção da obstrução do fluxo aéreo ou apresentação atípica da asma induzida pelo exercício nessa faixa etária. Medidas educacionais são imprescindíveis para o reconhecimento dos sintomas e controle da doença. Diante disso, o estudo teve como objetivo avaliar o conhecimento sobre a asma em adolescentes asmáticos e não asmáticos de escolas públicas e privadas. Estudo transversal, de caráter descritivo realizado em 64 escolas de Aracaju com uma amostra dos adolescentes que participaram anteriormente do estudo ISAAC em 2012. Foram aplicados 3 questionários abordando a caracterização da população, o conhecimento sobre asma e a situação de controle da asma no último mês. Parte da amostra realizou espirometria. A coleta de dados aconteceu entre agosto 2013 a setembro 2014. Foram contatados 355 adolescentes, sendo 87 asmáticos. Destes, 64 aceitaram realizar a espirometria. Os adolescentes apresentaram idade de 14 a 17 anos. O score de conhecimento sobre asma na população geral foi 46, considerado insuficiente. Os principais aspectos referentes à doença que apresentaram baixos percentuais de acertos foram: definição da doença, desencadeantes dos sintomas e terapêutica. Não houve diferença significativa no conhecimento entre os alunos asmáticos e não asmáticos (45,08 vs 45,73; p = 0,65), nem entre os tipos de instituição de ensino aos quais os alunos estavam inseridos (45,73 particular vs 42,42 publica; p=0,08). Enquanto 81,3% dos adolescentes asmáticos se auto-percebiam controlados, 65,6% referiam algum sintoma e 46,9% apresentaram VEF1/CVF < 0,8. Adolescentes asmáticos de maior idade (r=0,26; p= 0,035) e maior grau de escolaridade (score médio: 39,78 ensino fundamental vs 46,76 ensino médio; p=0,04) demonstraram um melhor conhecimento sobre a doença. Alunos com VEF1/CVF abaixo de 80% apresentaram maior escore de conhecimento quando comparados àqueles com VEF1/CVF ≥ 80% (49,73 vs 40,45; p=0,004). O baixo conhecimento sobre asma encontrado em adolescentes torna-se preocupante, em se tratando sobretudo de adolescentes asmáticos. Medidas de educação em asma podem ser realizadas na intenção de aprimorar o conhecimento do asmático e das pessoas com quem ele convive, o que pode ter impacto no melhor controle clínico e funcional da doença.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 426691 - MARIA LUIZA DORIA ALMEIDA
Interno - 2693741 - VALTER JOVINIANO DE SANTANA FILHO
Externo ao Programa - 1228110 - WALDERI MONTEIRO DA SILVA JUNIOR

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12692-c69972fb69