UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: SILVAN SILVA DE ARAUJO
26/01/2015 18:05


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SILVAN SILVA DE ARAUJO
DATA: 10/02/2015
HORA: 09:00
LOCAL: Universidade Federal de Sergipe - Sala de Reuniões do Conselho Superior da Reitoria - 1º Andar
TÍTULO: Caracterização Fitoquímica e Atividades Biológicas dos Extratos e do Óleo Essencial do Croton argyrophyllus Kunth (Euphorbiaceae).
PALAVRAS-CHAVES: Croton, citotoxicidade, inflamação, estresse oxidativo, terpenos, exercício resistido.
PÁGINAS: 96
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
SUBÁREA: Análise Toxicológica
RESUMO:

RESUMO:

O gênero Cróton é o segundo maior na família Euphorbiaceae, com espécies distribuídas ao redor do mundo. Seus metabólitos secundários presentes são oriundos de diversas classes funcionais de compostos, especialmente os terpenos. Estes, com efeitos importantes comprovados, embora com escassas informações acerca dos mecanismos moleculares. Portanto, faz-se necessária a avaliação do perfil fitoquímico e potencial farmacológico do extrato hidroetanólico (EHE), da fração clorofórmica (FCF) e do óleo essencial (OECA). Os procedimentos metodológicos para os ensaios adotaram modelos in vitro, in vivo e in silico. Para o perfil fitoquímico da planta utilizou-se métodos colorimétricos, e o de Folin-Ciocalteau, além dos métodos espectroscópicos, cromatografia líquida de alta eficiência (CLAE), cromatografia gasosa (CG), ressonância magnética nuclear (RMN) e infravermelho (IV). A FCF foi submetida a processos de cromatografia clássica, HPLC, RMN e IV com o objetivo de isolamento e elucidação do composto FCS. Na atividade antioxidante foi utilizado o método do radical DPPH e a lipoperoxidação. Foi avaliada a citotoxicidade do OECA pelo teste do MTT, frente a macrófagos J774 e células tumorais humanas, OVCAR-8, HCT-116, SF-295 e HL-60. Os dados foram tratados por ANOVA one-way (post hoc Tukey), quando conveniente. Em in vivo, o EHE foi avaliado quanto ao potencial antioxidante em ratas em modelo de exercício resistido. O EHE, a FCF e o OECA foram avaliados nos testes de nocicepção induzida por formalina e na peritonite induzida por carragenina, em camundongos. Para confirmação dos prováveis efeitos biológicos nos ensaios in vivo, o composto majoritário do OECA e o composto isolado da FCF foram analisados in silico, com as técnicas de screening virtual e docking molecular (Autodock em PyRx) visando os alvos terapêuticos da via inflamatória. A composição química EHE e na FCF compreende flavonoides, fenólicos e terpenos. O EHE e a FCF identificaram compostos de média polaridade. No FCS (FCF) foi elucidado o triterpeno ácido acetil aleuritólico (AAA). A CG/FID do OECA apresentou o composto majoritário biciclogermacreno (27,78%). A partir do DPPH, encontrou-se IC50 (µg/ml) 243,8±0,25; 98,7±26,72; 13,07±0,25, para EHE, FCF e OECA, respectivamente. A FCF e o OECA demonstraram maior inibição da lipoperoxidação. Nos testes de citotoxicidade (MTT) em macrófagos J774, OVCAR-8 e SF295, o OECA apresentou IC50 (µg/ml) 32,11±1,01, 21,86, 14,81, respectivamente. O EHE e a FCF, ambos apresentaram IC50 acima de 25,0 µg/ml para as células tumorais. Nos testes in vivo, o óleo foi mais efetivo na fase 1 do comportamento nociceptivo em relação ao controle, embora FCF, EHE e o OECA foram igualmente eficientes na fase 2 (p>0,05). De forma idêntica, a migração leucocitária para a cavidade peritoneal, não apresento divergências estatísticas (p>0,05). No docking molecular, o AAA demonstrou afinidades com as enzimas 5-llipoxigenase, ciclooxigenase (COX-2) e fosfolipase-2 (PLA2), verificadas pela energia final intermolecular (ΔG>0,0 kcal/mol). O biciclogermacreno demonstrou afinidade pela COX-2 e PLA2. Os resultados demonstram que a composição dos EHE, FCF e OECA apresentam potencial fito-farmacológico, no aspecto anti-inflamatório, com destaque para a atividade antitumoral do OECA. Evidências que sustentam cientificamente a utilização popular para os diversos males à saúde.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANA ROSA ALMEIDA ALVES
Externo à Instituição - ANTONIO EUZEBIO GOULART SANTŽANA
Externo ao Programa - 3553547 - BRANCILENE SANTOS DE ARAUJO
Presidente - 2335200 - CHARLES DOS SANTOS ESTEVAM
Externo ao Programa - 1070197 - CRISTIANE BANI CORREA
Externo ao Programa - 2026761 - MARCUS VINICIUS DE ARAGAO BATISTA
Interno - 2178474 - ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307