UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Junho de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: PEDRO GARGUR DOS SANTOS COROA
14/01/2015 17:06


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PEDRO GARGUR DOS SANTOS COROA
DATA: 27/02/2015
HORA: 14:00
LOCAL: A definir
TÍTULO: Influência do tipo e densidade do alimento na larvicultura do pacamã Lophiosilurus alexandri Steindachner, 1876 (Siluriformes, Pseudopimelodidae)
PALAVRAS-CHAVES: Siluriformes, nutrição, gradiente alimentar, frequência alimentar, conservação.
PÁGINAS: 58
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

O desenvolvimento de tecnologias é fundamental para aumento da produtividade na aquicultura. Um dos gargalos do cultivo de espécies nativas está na alimentação das larvas. O pacamã Lophiosilurus alexandri é uma espécie endêmica na bacia do rio São Francisco com grande potencial para aquicultura e atualmente apresenta status de conservação vulnerável. O objetivo do presente estudo foi avaliar o desempenho de pós-larvas de L. alexandri a partir de diferentes dietas (Artemia sp. e Panagrellus redivivus), concentrações (C300, C500 e C700) e frequências alimentares (F1, F3 e F6) em experimentos com duração de dez dias. Quando avaliado o alimento com melhor rendimento, Artemia sp. e Artemia sp. com P. redivivus apresentaram maiores taxas de sobrevivência, bem como maiores peso (F=371,13; p<0,05), comprimento (F=79,31; p<0,05) e taxa de crescimento específico (SGR) (F=105.97; p<0,01) do que pós-larvas alimentadas apenas com P. redivivus e pós-larvas sem fornecimento de alimento. A segunda etapa utilizou apenas Artemia sp. como alimento em função do melhor rendimento. A sobrevivência das pós-larvas não foi afetada pelo gradiente e pela frequência alimentar, porém o peso (F=46,63; p<0,001), comprimento (p<0,05; F=38,398) e SGR (F=36,91; p<0,05) apresentaram diferenças significativas de forma crescente com o aumento do gradiente alimentar. A partir destes resultados, o melhor desempenho das pós-larvas de L. alexandri foi obtido a partir de uma alimentação diária com maior gradiente alimentar (C700). O cultivo de L. alexandri deve ser incentivado na bacia hidrográfica do São Francisco. A redução dos seus estoques naturais decorrente de ações antrópicas reforça a importância de programas de repovoamento na tentativa de restaurar as populações naturais e fazer com que volte a figurar dentre as espécies explotadas comercialmente na bacia do rio São Francisco.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ALEXANDRE NIZIO MARIA
Externo ao Programa - 1697805 - JODNES SOBREIRA VIEIRA
Presidente - 1687626 - MARCELO FULGENCIO GUEDES DE BRITO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9