UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 23 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MYLENA MARIA SALGUEIRO SANTANA
12/12/2014 07:33


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MYLENA MARIA SALGUEIRO SANTANA
DATA: 06/01/2015
HORA: 08:00
LOCAL: sala de aula 27 Centro de Pesquisas Biomédicas/HU
TÍTULO: Padrão Respiratório e Variabilidade da Frequência Cardíaca nos Pacientes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica.
PALAVRAS-CHAVES: Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica; Sistema Nervoso Autônomo; Anóxia.
PÁGINAS: 41
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

O presente estudo analisou a influência da modulação simpática sobre o padrão respiratório hipoxêmico dos pacientes com de Doença Pulmonar Obstrutiva crônica (DPOC). Foram avaliados 12 pacientes portadores da doença e, para fins comparativos, 10 pacientes saudáveis também participaram. Os sujeitos foram submetidos à avaliação da Variabilidade da Frequência Cardíaca (VFC) através do aparelho finapress, sendo concomitantemente monitorada a saturação de oxigênio e frequência respiratória, durante 5 minutos, em seu estado de repouso. Após esta avaliação, foi realizada a espirometria de cada paciente, obtendo-se os valores de Volume Expiratório Forçado no primeiro segundo (VEF1) e a relação entre VEF1 e a Capacidade Vital Forçada (CVF). Quando correlacionados os índices de Saturação de Oxigênio (SatO2) e índice de Tiffenau, observa-se variação direta entre o índice espirométrico e a SatO2(ρ = 0,45). O inverso ocorre entre a Pressão arterial sistólica (PAS) e SatO2 e VEF1 e banda Lf da PAS (ρ = -0,65). Ao analisar-se a VFC no domínio do tempo, houve diferença estatisticamente significante entre os grupos para a banda Lf (p = 0,01) e na relação Lf/Hf (p=0,02). Viu-se que, quando comparados aos sujeitos saudáveis, pacientes com DPOC apresentaram menores valores de VFC, aumento da PAS, bem como queda na Saturação de Oxigênio (SatO2) e nos índices espirométricos. Ainda, a queda na função autonômica parece estar mais prejudicada naqueles pacientes em que os índices de VEF1 e a relação VEF1/CVF são menores. Ao que parece, a queda na SatO2, decorrente do prejuízo nas trocas gasosas, parece aumentar a modulação simpática, elevando os níveis de PAS.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2018171 - MANOEL LUIZ DE CERQUEIRA NETO
Interno - 2013648 - VITOR OLIVEIRA CARVALHO
Externo ao Programa - 1228110 - WALDERI MONTEIRO DA SILVA JUNIOR

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5