UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: RACHEL BARRETO S DE MENEZES
05/11/2014 08:30


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RACHEL BARRETO S DE MENEZES
DATA: 24/11/2014
HORA: 09:00
LOCAL: sala de aula 27 Centro de Pesquisas Biomédicas
TÍTULO: Mudança de Estilo de Vida em Situações de Risco Cardiovascular: Um Olhar do Paciente.
PALAVRAS-CHAVES: Estilo de vida, tratamento, risco cardiovascular, motivação, subjetividade.
PÁGINAS: 55
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

Introdução: As doenças cardiovasculares continuam sendo a maior causa de morbimortalidade em todo o mundo. Uma das intervenções mais recomendadas para redução de risco cardiovascular é a mudança de estilo de vida, mas que na prática apresenta baixa adesão. Apesar dos obstáculos para adoção de um estilo de vida saudável, alguns sujeitos se sentem motivados e conquistam esse objetivo.

Objetivo: Conhecer as motivações de um grupo de pacientes com fatores de risco cardiovascular, em acompanhamento médico ambulatorial, que adotaram um estilo de vida saudável do ponto de vista cardiovascular.

Metodologia: Realizou-se uma pesquisa exploratória e qualitativa, utilizando-se informações dos prontuários dos sujeitos e entrevista semiestruturada, realizada com pacientes em atendimento clínico ambulatorial, na cidade de Aracaju/SE, com amostra constituída por doze participantes. Pacientes portadores de doenças coronarianas ou acidente vascular cerebral, submetidos a cirurgias bariátricas e usuários de medicamentos para redução de peso corporal foram excluídos. Foi realizada análise temática das falas dos participantes.

Resultados e Discussão: As informações dos prontuários deram origem a tabelas com informações do perfil do sujeito e indicadores dos fatores de risco. As respostas às entrevistas foram separadas em dois grupos. O primeiro foi composto por temas relacionados ao sujeito, originou sete categorias, a saber: concepção sobre a vida, adoecimento, medo das perdas e da morte, pensamento religioso, influência das relações interpessoais, preocupação com a genética, ganhos e mudança. O segundo foi composto por temas ligados à relação com o profissional de saúde, originou a categoria encontro médico paciente. Houve discussão dos resultados com base na literatura especializada.

Conclusões: Percebe-se que as dificuldades para mudança de estilo de vida foram superadas pela presença de fatores intrínsecos e extrínsecos aos sujeitos. Nos dados coletados, houve predomínio de motivações internas. Os sujeitos demonstraram agir baseados na realidade das informações sobre a saúde e o risco cardiovascular que estavam apresentando. Num processo gradativo, foram tornando-se autores das próprias decisões, capazes de lidar com as consequências das escolhas feitas. O impulso para a vida foi preponderante para que as mudanças fossem adotadas e mantidas. Em relação às motivações externas, diziam respeito à importância da maneira como os médicos se comunicaram e a afetividade presente na relação médico paciente. O presente estudo pode colaborar para a reflexão sobre os atendimentos clínicos, sugerindo investimento na subjetividade do paciente para obtenção de melhores resultados na adesão a medidas de mudança de estilo de vida.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1243900 - JOSE AUGUSTO SOARES BARRETO FILHO
Externo ao Programa - 2502508 - DEBORAH MÔNICA MACHADO PIMENTEL
Externo à Instituição - RICARDO AZEVEDO BARRETO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307