UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 13 de Junho de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: VANESSA ARAUJO ALMEIDA
13/10/2014 15:26


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VANESSA ARAUJO ALMEIDA
DATA: 30/10/2014
HORA: 15:30
LOCAL: Laboratório de Flavor e Analises Cromatográficas
TÍTULO: PROPRIEDADES FUNCIONAIS DE TAMARINDO (Tamarindus indica L.): POTENCIAL ANTIOXIDANTE E EFEITO SOBRE O ESTRESSE OXIDATIVO E MARCADORES BIOQUÍMICOS EM CAMUNDONGOS ALIMENTADOS COM DIETA HIPERLIPIDICA
PALAVRAS-CHAVES: Palavras-chave: Tamarindo, estresse oxidativo, potencial antioxidante, obesidade, dieta hiperlipídica, enzimas antioxidantes.
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
RESUMO:

O tamarindo (Tamarindus indica L.) necessita ser investigado, visto que praticamente todas as partes da planta são usadas na medicina popular e tem inúmeras aplicações terapêuticas ainda não comprovadas cientificamente. O objetivo deste estudo foi avaliar o potencial antioxidante da polpa do tamarindo em distintos modelos in vitro e os possíveis efeitos sobre o estresse oxidativo e marcadores bioquímicos em modelo animal submetidos à ingestão de dieta hiperlipídica. Foi verificada a atividade antioxidante de extratos aquoso e hidroalcóolicos (usando etanol ou água como solvente) obtidos de polpa de tamarindo em sistemas modelo DPPH, FRAP e ORAC. Também o potencial antioxidante foi avaliado in vivo usando camundongos C57BL/6J, verificando a influência do extrato aquoso (incorporado em ração comercial: 0,2 e 1%) sobre parâmetros de obesidade (peso do animal e de tecidos hepático, cardíaco e adiposo, intolerância à glicose, colesterol total, triacilgliceróis, HDL e LDL, hormônios leptina, adiponectina e insulina), enzimas antioxidantes (CAT, SOD, GPx) e lipoperoxidação. Todos os extratos apresentaram expressiva atividade antioxidante nos métodos in vitro. Quanto à capacidade antioxidante no organismo animal, o extrato aquoso na menor concentração (0,2%) interferiu positivamente na manutenção de peso similar ao animal controle normolipídico,, além de tendência a manter as concentrações normais de glicose e colesterol. Os níveis de HDL e a atividade enzimática da GPx se mantiveram sem diferenças significativas em relação ao animal controle normolipídico (p ³ 0,05). Portanto, o tamarindo possibilita possível proteção ao organismo animal, se denotando um alimento com propriedades funcionais.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2481282 - ALESSANDRA ALMEIDA CASTRO PAGANI
Externo à Instituição - ALESSANDRO DE LIMA
Presidente - 1683778 - ELMA REGINA SILVA DE ANDRADE WARTHA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15368-99f189d34b