UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 31 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: GILZA DOS SANTOS
07/10/2014 12:22


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GILZA DOS SANTOS
DATA: 14/10/2014
HORA: 14:00
LOCAL: sala de aula Centro de Pesquisas Biomédicas
TÍTULO: EFEITOS DA INTERVENÇÃO NUTRICIONAL NO TRATAMENTO DO SOBREPESO E OBESIDADE, EM ADULTOS ASSISTIDOS EM NÍVEL AMBULATORIAL NA REDE PÚBLICA E PRIVADA
PALAVRAS-CHAVES: Obesidade; Sobrepeso; Dieta; Anamnese Nutricional; Risco Cardiovascular.
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Nutrição
SUBÁREA: Análise Nutricional de População
RESUMO:

Introdução: Sobrepeso e obesidade, são a quinta maior causa de risco de mortes no mundo. O tratamento inclui mudança para uma alimentação hipocalórica e promoção de hábitos alimentares adequados e incentivo a prática de atividade física. A adesão do paciente é crucial ao tratamento da doença. Métodos: Este estudo foi realizado na cidade Aracaju-Se, Brasil, no ambulatório do Hospital Universitário de Sergipe e Fundação São Lucas. Avaliou o efeito da orientação nutricional e avaliação da adesão a um programa nutricional para indivíduos adultos com sobrepeso e obesidade na rede pública e privada. Foram avaliados 21 indivíduos, sendo divididos em dois grupos, Particular, (Fundação São Lucas) e Público, (Hospital Universitário), O teste de W-Mann-Whitney foi utilizado para a comparação entre os grupos público e privado e o de U-Wicoxon para a comparação entre os momentos basal e última consulta. Para as variáveis categóricas foi utilizado o teste de qui-quadrado-χ2. Foi considerado o nível de significância estatística de 5 % de probabilidade (P < 0,05). As análises estatísticas forma realizadas utilizando o software Statistical Package for Social Science, SPSS, for Windows, versão 20.0.Resultados:Os pacientes admitidos no serviço público responderam melhor à intervenção nutricional. As circunferências da cintura após a orientação nutricional no Grupo Público foi de 129,9±15,0 para 124,2±15,9 e no Grupo Privado 102,3±10,5 para 96,9±11,4, estes valores ainda não são ideais, mas esta redução, auxilia no tratamento das doenças metabólicas crônicas destes indivíduos. Aumento no consumo diário de legumes no Grupo Público 71,4% e no Grupo Particular 9,1% e também no consumo de verduras, no Grupo Público 60,8% e no Grupo Particular 27%. Redução do consumo de carnes gordurosas (Grupo Público 34,2% e Grupo Particular 32,5%), frituras (Grupo Público 23,8% e Grupo Particular 4,9 %) e salgadinhos (Grupo Público 38% e Grupo Particular 18%). Redução de 67,9% no Grupo Público e 62,3% no Grupo Particular, dos indivíduos sedentários. Conclusão: Os pacientes admitidos no serviço público responderam melhor à intervenção nutricional, visto à redução mais notória, tanto nos parâmetros antropométricos quanto bioquímicos. Apesar de terem sido admitidos com valores significativamente maiores relacionados aos parâmetros em questão. O melhor efeito da intervenção nutricional entre os pacientes assistidos pelo serviço público, possivelmente, se deve a sua maior adesão ao tratamento. Mais estudos precisam ser realizados, para avaliar a adesão ao tratamento de pacientes com doenças crônicas, para que possamos melhorar cada vez mais o atendimento à essa população.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1632071 - DANIELLE GOES DA SILVA
Presidente - 2380197 - JOSELINA LUZIA MENEZES OLIVEIRA
Interno - 1819141 - KIRIAQUE BARRA FERREIRA BARBOSA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12838-31cfbbda77