UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANA CAROLINA WESTRUP MACHADO
07/08/2014 13:55


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA CAROLINA WESTRUP MACHADO
DATA: 27/08/2014
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do Departamento de Comunicação Social
TÍTULO: Análise sobre a 1º CONFECOM e as propostas aprovadas sobre o Sistema Televisão Brasileira
PALAVRAS-CHAVES: políticas de comunicação, audiovisual, economia política, Brasil
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Comunicação
RESUMO:

O presente trabalho está em fase de desenvolvimento, tendo a sua conclusão prevista para o início de 2015. Pretende-se aqui apresentar os primeiros levantamentos teóricos e metodológicos da pesquisa, com vistas ao cumprimento do Exame de Qualificação, além de avaliar e discutir os próximos passos propostos. O objetivo geral da dissertação está focada na análise sobre em que se objetivou as resoluções aprovadas sobre o sistema de televisão brasileiro de televisão na 1º Conferência Nacional de Comunicação, sob o ponto de vista da regulação e do mercado, identificando os atores envolvidos neste processo e seus interesses e, sobretudo, as resultantes dessas propostas no arcabouço legislativo e como acúmulo para a pauta do movimento pela democratização da comunicação no Brasil. Esse estudo se justifica pela importância do desenvolvimento da 1º Conferência Nacional de Comunicação, sobre o novo paradigma da convergência digital e como isso incide no mercado brasileiro de televisão, com os seus novos e velhos problemas. Um momento histórico para as políticas de comunicação que prescinde de uma análise criteriosa sobre atores e os interesses envolvidos nas discussões em torno do tema, e os impactos disso em relação as discussões sobre ambiente regulatório do setor. A hipótese a ser trabalhada neste estudo se concentra na limitação da 1º Conferência Nacional de Comunicação em relação aos avanços no campo regulatório do sistema brasileiro de televisão, visto que a comunicação/ informação, dentro do sistema capitalista, não se trata de uma política pública em si, mas de uma forma de poder estabelecida, embora não deixaremos de analisar os possíveis avanços na pauta e na composição do movimento pela democratização da comunicação. Como abordagem metodológica, será adotado o referencial da Economia Política da Comunicação, pela abordagem no que diz respeito à Indústria Cultural e suas funções no capitalismo monopolista e o seu papel no processo de acumulação do capital.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 426453 - CESAR RICARDO SIQUEIRA BOLANO
Interno - 2184482 - LILIAN CRISTINA MONTEIRO FRANCA
Externo à Instituição - FERNANDO OLIVEIRA PAULINO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307